Subir

Começa o julgamento do homem acusado de matar a mulher com dois tiros

Um homem acusado de matar a mulher a tiro, em plena via pública, em Macedo de Cavaleiros, começou hoje a ser julgado por três crimes no tribunal daquela cidade do distrito de Bragança.

O alegado homicida, de 59 anos, está detido, em prisão preventiva, desde a altura do crime, que ocorreu ao início da noite de 13 de janeiro, quando a mulher, de 55 anos, saiu do trabalho em direção a casa e foi baleada.

O indivíduo responde em julgamento pelos crimes de homicídio qualificado, detenção de arma proibida e violência doméstica. A mulher do arguido foi encontrada sem vida, na rua, junto a uma rotunda, atingida com dois tiros de caçadeira na cabeça. As autoridades terão sido alertadas por vizinhos e o marido apontado imediatamente como suspeito, tendo abandonado o local do crime. O indivíduo barricou-se numa garagem junto ao apartamento onde vivia e ter-se-á automutilado com uma machada, segundo indicou, na altura dos factos, a GNR, que acabou por conseguir detê-lo.

O casal estaria em processo de divórcio devido a violência doméstica alegadamente praticada pelo indivíduo contra a mulher, mas ambos continuaram a viver na mesma casa, de acordo com testemunhos de familiares da vítima à Comunicação Social. A situação de violência doméstica já estaria referenciada pelas autoridades que pouco tempo antes do homicídio tinham apreendido armas ao alegado homicida.

Número de mulheres assassinadas em Portugal desceu, mas ainda são demais

A mulher merecia. A culpa é sempre nossa