Subir

Como explicar o sexo às crianças? Dicas para pais com filhos de todas as idades

A mãe ou o pai que não tremeram à primeira pergunta das crias sobre de onde vêm os bebés que ponha o dedo no ar. E mais dia, menos dia, essa pergunta acaba mesmo por se fazer ouvir – por isso é importante que os pais estejam preparados, sem terem de recorrer às cegonhas que vêm de Paris com os bebés embrulhados numa trouxa.

“As crianças são indivíduos curiosos por natureza, ávidos de apreender novas coisas e com grande capacidade de aprendizagem. A sua curiosidade depende de muitas variáveis da qual faz parte o seu próprio desenvolvimento. As crianças não são todas iguais”, explica a sexóloga Vânia Beliz, co-autora do livro A Viagem de Peludim – que tem por objectivo abordar a adequada educação sexual, desde a primeira infância.

“É importante que os pais compreendam que quando falamos de sexualidade e educação sexual com crianças de 3-4 anos não estamos a falar de relação sexual, mas sim de corpo, identidade, cuidados, proteção.”

Vânia Beliz acredita que a educação sexual permite que as crianças se protejam da violência sexual e de comportamentos de risco, que lidem e aceitem o seu corpo e o dos outros com naturalidade, que respeitem a diversidade. “A educação sexual apoia no reforço da autoestima, reduz a insegurança em relação ao corpo e à imagem”, conclui a sexóloga que dá formação em escolas sobre esta temática.

Por isso perguntámos à sexóloga que curiosidades têm os mais pequenos e como se explica o sexo às crianças de acordo com a idade que têm. Vamos a isso?

2/3 anos: As crianças na creche, com irmãos mais velhos podem ser mais curiosas porque começam a interagir com outros diferentes de si. Nesta fase questionam sobre o corpo, por isso nesta altura devemos chamar tudo pelos nomes certos. Usar nomes desadequados poderá dar a ideia de que é algo errado de que não devemos falar. Nesta altura as crianças não tem capacidade para compreender a complexidade por isso o nome vulva será o mais correto, porque diz respeito ao que elas tocam, lavam e devem proteger. É a altura em que devemos explicar que [os genitais] são zonas íntimas e que ninguém deverá mexer.

4/5 anos: Nesta altura as crianças podem manifestar interesse por questões básicas da sexualidade, podem questionar porque é que meninos e meninas são diferentes. Podem querer explorar-se e tocar no corpo do outro de forma a reconhecer as diferenças. Tratando-se de crianças da mesma idade é um comportamento normal. O objetivo não tem nada a ver com o comportamento dos adultos, apenas procuram compreender as diferenças. Devemos reforçar as questões de privacidade e de cuidado com o corpo, sem castigar e repreender negativamente a criança se a surpreendemos em jogos de estimulação. Surgem questões sobre como se fazem os bebés, de onde veem. Nesta altura devemos sempre tentar perceber o que sabem as crianças, muitos pais falam de sementinhas, é importante que as crianças saibam que existem células especiais, que servem para fazer os bebés (se não perguntam o que é uma semente também não vão questionar o que é uma célula, se perguntarem dizemos que o nosso corpo tem muitas e diferentes e que estas especiais estão num lugar especial do corpo, nos homens nos testículos, nas mulheres nos ovários dentro da barriga). Que quando são adultos e querem fazer bebés os homens colocam o pénis dentro da vagina da mulher e deixam lá as células pequeninas que vão ao encontro da célula da mulher.

6/8 anos: A partir dos 6 anos as questões começam a ser mais complexas, há perguntas sobre concepção, gravidez, parto com mais necessidade de detalhe. Algumas meninas têm aos 8 anos alguns sinais de puberdade, pelo que falar das mudanças do corpo é essencial.

9/11 anos: É a fase da puberdade. As meninas têm muitas dúvidas sobre a primeira menstruação e os pais devem ajudá-las preparando um kit que deverão trazer na sua mochila principalmente se a menina já tiver sinais de que poderá estar próxima: pelos púbicos, desenvolvimento mamário, por exemplo. Nesta fase é importante ajudá-los no reforço da higiene e cuidado com o corpo. É importante que expliquemos que não crescemos todos na mesma altura, porque este desfasamento pode causar angústia em relação ao corpo e imagem para os quais os pais devem estar atentos.

12/13 anos: Esta é uma altura em que estão na puberdade e que as mudanças físicas surgem. Aparecimento da menstruação nas meninas, ejaculações nos meninos. As mudanças psicológicas e físicas surgem desencadeadas pelas hormonas que ditam a mudança. É o momento para se abordar alguns mitos e não temer falar de contracepção. Existem muitas meninas que são mães aos 12-13 anos por isso e porque as coisas não acontecem só aos outros é importante informar e esclarecer. Isso vai fazer com que possam ser mais responsáveis e adiar comportamentos de risco. É importante que eles saibam que biologicamente as suas células já estão prontas e que já são férteis, por isso no caso de haver carinho e miminhos entre um casal, mesmo sem penetração deve haver cuidados de proteção. Muitas meninas ainda acham que não se engravida na primeira vez e desde cedo os rapazes devem saber colocar um preservativo, não é quando forem precisar dele.

Alexandra Martins da Silva