Como saber comprar a máscara social reutilizável certa

máscaras
[Fotografia: iStock]

Com as novas regras para o uso de máscara em serviços, locais e transportes públicos, bem como em espaços confinados com muitas pessoas, o recurso a máscaras de proteção contra a Covid-19 aumentou. Mas a oferta também. Ainda que nada impeça de fazer a sua, é importante verificar quais os melhores materiais a usar.

Porém, na altura de gastar dinheiro e com tanta gente a começar a fazer máscaras para comercialização, é importante ter a certeza que está a adquirir um produto que realmente protege.

Por isso, e para as chamadas máscaras sociais ou comunitárias, a DECO – Defesa Do Consumidor lembra que se trata de “um artigo têxtil de uso único ou reutilizável”.

Covid-19: IVA reduzido para máscaras e gel entra em vigor esta sexta

Entre as características elencadas, estas peças devem poder ser usadas durante quatro horas ininterruptamente, “sem degradação da capacidade de retenção de partículas, nem da respirabilidade”. Quanto à eficácia, elas têm de “assegurar, no mínimo, 70% de filtração”. E este é mesmo um requisito obrigatório.

O fornecedor do produto é ainda obrigado a dar detalhes sobre o tratamento do produto. “A informação sobre a reutilização – lavagem, secagem, conservação e manutenção – e o número de utilizações devem ser dadas pelo fabricante”, refere a mesma entidade.

“Na etiqueta, o utilizador deve, também, ser informado sobre as características de desempenho, sobre o facto de o produto não ser um dispositivo médico ou um equipamento de proteção individual e sobre a composição”,lê-se. A lista de máscaras autorizadas tem vindo a ser disponibilizada no site do Centro Tecnológico Têxtil e Vestuário, CITEVE.

Máscaras: as melhores opções para ficar protegida com estilo