Dezenas de balões em forma de pénis voam sobre Nova Iorque em julgamento de Trump

stormy Trump
[Fotografia: Montagem captura de ecrã CBS News e JUSTIN SULLIVAN / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / Getty Images via AFP/Arquivo Global Imagens]

Dezenas de balões em forma de pénis sobrevoaram esta quinta-feira, 16 de maio, as imediações do tribunal onde está a ser julgado o ex-presidente Donald Trump, em Nova Iorque, o que mobilizou os polícias que vigiam o exterior do edifício.

Um apoiante de Trump que frequenta regularmente o tribunal abriu, esta quinta-feira à tarde, 16 de maio, a porta de uma carrinha de onde saíram balões cor-de-rosa com cerca de um metro de comprimento que se espalharam pela área, chamando também a atenção dos jornalistas que esperavam no exterior do tribunal. As imagens rapidamente chegaram às redes sociais, noticiou a agência Efe.

A instalação foi preparada por Scott Lobaido, um artista pro-Trump, custou cerca de 1500 dólares (mais de 1380 euros), e levou dois dias a ser completada. Os balões levavam colados os rostos de pessoas como o juiz Juan Marchand, que preside o julgamento de Trump, ou do procurador de Manhattan, Alvin Bragg, que apresentou a acusação que levou o ex-presidente a julgamento.

[Fotografia: Captura de ecrã/Instagram/Scott Lobaido]

Outro rosto presente nos balões foi o de Jack Smith, o procurador especial que processou Trump em Washington pelo ataque ao Capitólio em 06 de janeiro de 2021.

Inicialmente, um grupo de apoiadores de Trump que também estava nas proximidades interpretou erroneamente que se tratava de um ataque ao seu líder e começou a gritar “que vergonha, que vergonha”.

Mas depois calou-se ao ver os rostos nos balões, segundo um jornalista que presenciou o ocorrido.

Trump está a ser julgado por 34 falsificações de documentos contabilísticos alegadamente utilizados para ocultar um pagamento de um escândalo sexual que terá ocorrido antes da campanha presidencial de 2016.

Uma verba de 130 mil dólares (121 mil euros) terá sido paga à antiga estrela de filmes pornográficos Stormy Daniels para a silenciar acerca de uma relação sexual que terá acontecido em 2006, quando Trump já era casado com a sua mulher Melania. O antigo chefe de Estado norte-americano nega a relação.

LUSA