Ginecologia: Eis as doenças mais comuns nas mulheres, por idades

pexels-dariabuntaria-2526819
[Fotografia: Pexels/Daria Buntaria]

“Recomenda-se que uma primeira consulta de abordagem à saúde reprodutiva tenha lugar na adolescência. Depois, uma avaliação médica anual a partir dos 20 a 25 anos, ou mais cedo se a mulher for sexualmente ativa”. As indicações partem de João cavaco Gomes especialista em Ginecologia e Obstetrícia do Centro Hospitalar Universitário de São João, no Porto.

Por isso, no momento em que se evoca o Dia Internacional da Saúde Feminina, esta terça-feira, 28 de maio, saiba que, apesar de as doenças não terem hora, nem dia marcado para surgirem, certo é que, em matéria ginecológica, existem fases em que são mais e menos prevalentes, pelo que, refere o mesmo especialista em nota enviada às redações, “a regularidade dos exames ginecológicos depende sempre da idade e da história pessoal e familiar da mulher”.

Sobre as patrologias benignas, destaque para o facto de “as infeções ginecológicas serem mais frequentes em mulheres mais jovens e sexualmente ativas”. O mesmo comunicado revela quer “a endometriose e os miomas tendem a ser diagnosticados em mulheres em idade reprodutiva”. “Os sintomas de endometriose podem manifestar-se mais cedo, entre os 20 e 30 anos e os miomas tendencialmente mais tarde, especialmente depois dos 40 anos. Por outro lado, condições como a atrofia vaginal e o prolapso de órgãos pélvicos são mais comuns em mulheres mais velhas e após a menopausa”, lê-se na mesma nota.