Subir

‘A Guerra dos Tronos’ tirou atriz do mundo da prostituição

Além de ser uma das séries mais populares do momento, ‘A Guerra dos Tronos’ teve um forte impacto na vida pessoal e profissional de Josephine Gillian. Aos 27 anos e com uma infância e adolescência marcadas por abusos sexuais, consumo de drogas e álcool, a jovem atriz encontrou nesta trama o seu escape para uma nova vida.

“Eu trabalhava como prostituta e também fazia filmes pornográficos, com o nome Sophie O”Brien, quando vi um anúncio na internet para a indústria televisiva. Eles procuravam jovens atrizes com seios naturais e sem tatuagens, que não tivessem problemas em fazer cenas de nudez. Enviei logo uma fotografia”, contou Josephine Gillian em entrevista ao ‘Daily Mail’.

A resposta foi positiva. Foi chamada para um “casting” e passou. “Fiquei radiante porque era uma oportunidade fantástica de ter uma carreira na representação. Mas não me passava pela cabeça que iria mudar tanto a minha vida”, destacou.

A atriz, que curiosamente também dá vida a uma cortesã na série inspirada nas crónicas de George R. R. Martin, não tem dúvidas: “‘A Guerra dos Tronos’ salvou-me de uma vida na prostituição e tornou-me numa pessoa mais forte”.

Josephine Gillian entrou na segunda temporada da série, que já conquistou 26 Emmy, para vestir a pele da prostituta Marei, novata na profissão. A primeira cena da atriz mostra a sua personagem a aprender técnicas para fingir um orgasmo.

guerra tronos

Uma das cenas de nudez protagonizadas por Josephine Gillian

Ao ‘Daily Mail’, a jovem britânica revelou que teve uma infância e uma adolescência problemáticas. Frequentou 24 escolas primárias diferentes, uma vez que a mãe, que tinha sido vítima de violência doméstica, estava a fugir do seu antigo companheiro.

Mas os momentos traumáticos de Josephine Gillian não se ficam por aqui. Com apenas 12 anos foi para uma casa de acolhimento onde tornou-se consumidora de álcool e drogas. “Fui criada por uma família que me dava canábis e álcool e, com 14, introduziram-me na cocaína. Dois anos depois fui violada e depois obrigada a prostituir-me”, admitiu.

Foi por medo que a atriz decidiu manter o silêncio até aos dias de hoje. “Estava demasiado assustada para contar isto a alguém porque ele [autor dos abusos] ameaçava que ia enterrar-me no jardim, caso contasse a alguém. Ele disse que já o tinha feito antes e eu acreditei”.

Este passado empurrou Gillian para o mundo da prostituição. Mas um golpe de sorte fez com que a jovem britânica iniciasse uma nova vida.

 

Márcia Gurgel