Harvey Weinstein arrisca pena de prisão de 140 anos por assédio sexual

Harvey Weinstein in court in Los Angeles
[Fotografia: ETIENNE LAURENT / POOL / AFP]

De volta a tribunal. O ex-produtor de Hollywood Harvey Weinstein, de 70 anos, está a responder por novos casos de agressão sexual no tribunal de Los Angeles desde esta segunda-feira, 10 de outubro. Um caso em que se espera ouvir testemunhos cinco alegadas vítimas daquele crime. O antigo produtor enfrenta agora 11 acusações, incluindo violação e sexo oral forçado contra mulheres em hotéis em Beverly Hills e Los Angeles, entre 2004 e 2013.

Nesta fase, o júri está a ser selecionado. O julgamento deve durar cerca de dois meses e, em caso de condenação, Weinstein, que se declarou inocente de todas as acusações, arrisca uma pena de prisão até 140 anos.

Recorde-se que as primeiras acusações contra o magnata da sétima arte tornaram-se públicas em outubro de 2017, há cinco anos, iniciando um movimento mundial conhecido por #MeToo. Nesse momento e no total, cerca de 90 mulheres, incluindo atrizes como Angelina Jolie, Gwyneth Paltrow e Salma Hayek, acusaram Weinstein de agressão ou assédio sexual.

Em março de 2020, o produtor de cinema norte-americano Harvey Weinstein foi condenado a 23 anos de prisão pelos crimes de violação e agressão sexual, no julgamento que decorreu em Nova Iorque.

 

O movimento, com estilhaços a nível mundial, levou milhares de mulheres a assumirem ter sido vítimas de assédio na sua vida profissional. Por cá, as celebridades nacionais também revelaram ter sido alvo de crimes semelhantes.