Subir

O dia em que Helen Mirren deu uma lição ao machismo

Em 1975, Helen Mirren era uma jovem atriz de 30 anos, que já começava a mostrar ao mundo o seu talento. Mas havia quem duvidasse disso, ou pelo menos quem quisesse testar até que ponto uma mulher bonita podia ser talentosa. Confrontar Helen Mirren, que até então nunca tinha sido entrevistada num programa de televisão, foi um erro e o tiro do apresentador Michael Parkinson acabou por sair-lhe pela culatra.

O tom machista com que conduziu a entrevista começou logo a partir do momento em que Parkinson, na altura com 41 anos, apresentou a artista britânica aos espectadores como “rainha do sexo”. Mas não se ficou por aqui. “Você é, entre aspas, uma atriz séria”, disse o apresentador. E desengane-se quem pensa que Mirren ficou calada. “Entre aspas? O que quer dizer com entre aspas? Como se atreve?”, questionou, sem se deixar intimidar.

Apesar de já ter acontecido há 41 anos, só agora este vídeo se tornou viral, depois de ter sido publicado no Facebook. Na altura dos factos, Mirren ainda não tinha conquistado o Óscar de Melhor Atriz pela sua performance no filme ‘A Rainha’ (2007). Trabalhava na Royal Shakerspeare Company e tinha acabado de conquistar o papel de Lady Macbeth.

Mais bizarra foi a justificação que Michael Parkinson encontrou para justificar as suas dúvidas relativamente ao facto de Helen Mirren, hoje com 71 anos, ser ou não uma atriz séria. “Não acha que o seu equipamento impede que seja considerada como tal (atriz séria)?”, atirou o apresentador. A atriz sabia perfeitamente que Parkinson se referia aos seus seios, mas ironizou. “Gostaria que me explicasse o que significa o meu ‘equipamento'”. “Os seus atributos físicos”, respondeu o apresentador. “Os meus dedos?”, contrapôs uma sarcástica Mirren, que decidiu, em seguida, ir direta ao ponto. “Ou por acaso acha que as atrizes sérias não podem ter os seios grandes?”.

E nem assim Michael Parkinson abrandou o tom do seu discurso. “Acho que (os seios) podem distrair o espectador da sua atuação, se é que compreende o que estou a dizer”. Não, Mirren não compreendeu e respondeu que só uma atuação muito pobre pode fazer com que o espectador se distraia com esse tipo de coisas. “Quero acreditar que a interpretação, a obra e a relação entre os atores que estão em cena e o público que os vê são mais importantes do que estas perguntas aborrecidas”.

Mas o mundo dá muitas voltas e em 2006 Helen Mirren voltou a ser entrevistada por Michael Parkinson. Nesta altura, porém, a atriz já tinha atingido o patamar de estrela e já tinha provado, há muito tempo, que o seu talento era completamente independente dos seus atributos físicos.

E surpreendentemente (ou não) Parkinson voltou a fazer uma referência ao tamanho dos seios de Helen Mirren. “Ainda bem que menciona isso, Michael. Não consegue resistir, pois não? Este foi o grande problema na primeira vez que me entrevistou. Foi sexista por ter falado dos meus seios, odiei. Mas agora estamos aqui a encerrar um ciclo”, disse, na altura.

Márcia Gurgel/ Reuters