Herdeira política de Marielle Franco ameaçada de morte

Talíria Petrone, 32 anos, professora de História, nascida em Niterói numa família de classe média-baixa, filha de professora e músico, conheceu Marielle no Complexo da Maré, onde deu aulas.

Esta vereadora de Niterói e ativista, considerada herdeira política de Marielle Franco, está agora na mira de quem tirou a vida à vereadora. Ao longo da aventura juntas na política, Talíria, quando se sentia mais cansada de ser chamada de “preta nojenta” e “vagabunda”, de ouvir “mas que cabelo é esse?” e de ser mandada “de volta para a senzala” nas redes sociais, teve momentos de desconsolo.

“Mas ela sempre chegava em mim, me dava um tapa nas costas e dizia “bora negona, a vida é dura baby” para me fortalecer”, lembra Talíria. Por isso, no último sábado, três dias após a execução da amiga no centro do Rio, a vereadora de Niterói reagiu finalmente ao ocorrido escrevendo “e agora, quem vai me dar coragem, quem vai chorar comigo dores tão parecidas e entender exatamente tudo o que explode no peito?”. “Era uma irmã de política, de vida, de luta e de alma”, diz.

Leia esta reportagem na íntegra no Diário de Notícias

Imagem de destaque: Facebook

Protestos pela ativista brasileira Marielle Franco levam centenas às ruas