Subir

Hollywood adota código de conduta na sequência de escândalos sexuais

Harvey Weinstein

A Academia de Cinema e Ciências Cinematográficas dos Estados Unidos, que atribui os Óscares, adotou um código de conduta, após a expulsão do produtor de Hollywood Harvey Weinstein acusado de abuso e assédio sexual.

As novas regras foram transmitidas na quarta-feira aos mais de 8.400 membros da Academia pelo chefe executivo, Dawn Hudson, através de um ‘email’.

Em meados de outubro, após a expulsão de Harvey Weinstein, a segunda na história da Academia, a seguir ao ator Carmine Caridi, na década de 1990, a entidade anunciou estar a trabalhar para “estabelecer normas de ética de conduta”.

O novo código de conduta estipula que a Academia não é lugar para “pessoas que abusam dos seus estatutos, poder ou influência de uma forma que viola os padrões da decência”, de acordo com a agência de notícias norte-americana Associated Press.

A direção pode agora suspender ou expulsar quem violar o código de conduta ou quem “comprometer a integridade” da Academia de Cinema e Ciências Cinematográficas dos Estados Unidos.

As normas do código de conduta foram delineadas por uma ‘task force’ criada pela academia.

Assédio sexual em Hollywood: a lista de vítimas é infindável