Subir

Jornalista espanhola faz denúncia contra líder do Podemos

A jornalista espanhola Mariló Montero deslocou-se ao Instituto da Mulher, em Espanha, para apresentar uma denúncia contra o secretário-geral do partido Podemos, Pablo Iglesias. De acordo com a imprensa espanhola, essa denúncia visa uma alegada conversa que Iglesias manteve com Juan Carlos Monedero, co-fundador do Podemos, na qual afirmou que “chicotearia” a jornalista “até que” esta “sangrasse”.

Numa carta dirigida ao Instituto da Mulher, à qual a Europa Press teve acesso, Mariló Montero, de 50 anos, considera-se “responsável”, “a nível social”, de “expandir” a sua opinião “para que nenhuma mulher tolere semelhantes aberrações, uma vez que, nos últimos dias, houve um clamoroso silêncio sobre tão grave acusação verbal”.

Podemos (We Can) leader Pablo Iglesias, now running under the coalition Unidos Podemos (Together We Can), arrives for the last campaign rally for Spain's upcoming general election in Madrid, Spain, June 24, 2016. REUTERS/Andrea Comas - RTX2I2SJ

Pablo Iglesias, secretário-geral do partido espanhol Podemos

Montero, que deixou de trabalhar no canal espanhol TVE em junho último, considera que com estas declarações Pablo Iglesas mostrou o seu “lado b”. E não poupa nas palavras, considerando-o “um marxista algo perverso convertido num psicopata”. Exige ser respeitada “física, moral, profissional e verbalmente” e alerta que entre os representantes políticos espanhóis “há um homem não capacitado” e “não apto”.

A jornalista vai mais longe e refere que Pablo Iglesias deveria abandonar a vida política. “Deveria ser-lhe proibido o acesso a qualquer reapresentação pública, já que nenhuma mulher neste país pode sentir-se protegida por um político que se autodenomina como ‘perverso’ e ‘psicopata'”.

Márcia Gurgel / Reuters