Subir

Reino Unido: Liderança dos Conservadores e do governo disputada entre mulheres

É oficial. A liderança do Partido Conservador britânico e o cargo de primeiro-ministro do Reino Unido vão mesmo pertencer a uma mulher.

O confronto final para decidir quem vai suceder a David Cameron disputa-se entre a ministra do Interior e candidata favorita para ficar à frente do destino dos “Tories”, Theresa May, e a secretária de Estado da Energia, Andrea Leadsom.

Os resultados da segunda volta das eleições internas do partido ditaram o afastamento de Michael Gove. O ministro da Justiça, que entrou na corrida no segundo lugar nas sondagens, não foi além dos 46 votos.

Theresa May venceu esta ronda com 199 votos a favor dos parlamentares conservadores, enquanto Andrea Leadsom, obteve 84 votos dos deputados “Tories”. Uma das duas candidatas será escolhida pelos cerca de 150 mil militantes do Partido Conservador para ocupar o lugar de David Cameron, que se demitiu depois da vitória do saída do Reino Unido da União Europeia, no referendo de 23 de junho.


Leia também: Theresa May pode ser a próxima primeira-ministra britânica


A vencedora destas eleições internas será conhecida a 9 de setembro e será ela quem vai negociar a saída britânica do espaço comunitário.

Na campanha para referendo, Theresa May foi apoiante do “Remain” (“Ficar”), enquanto Andrea Leadsom defendeu o “Leave” (“Sair”) e, apesar do eleitorado conservador estar mais preocupado com as propostas das candidatas para o cenário pós-Brexit e focado na estabilidade económica, como revelou uma sondagem recente do ‘The Sun’, essa divisão deverá estar presente no debate.

Imagem de destaque: Reuters

Ana Tomás