Luciana Peralta: instrutora de Zumba com Síndrome de Down

Tem 20 anos, é natural de Córdoba, na Argentina, e acaba de ser formada como instrutora de Zumba com Síndrome de Down. Foi a paixão pela dança e pela ginástica que levou Luciana Peralta a seguir o sonho de conseguir formar-se nesta modalidade desportiva, uma certificação – graças a uma iniciativa inclusiva – que chegou a 19 de maio.

Agora, Luciana está apta, após aulas com as instrutoras Natalia Ivonne Molina e Belén Conterna, a dar aulas nesta disciplina e já começou a fazê-lo. Uma atividade que se junta ao trabalho numa creche, que já desenvolvia, e no artesanato.

Luciana Peralta [Fotografia: captação youtube]

Todos nós aprendemos com todos, ninguém nasce ensinado e este é um trabalho do dia-a-dia. Ela poderá transmitir aos seus amigos o que aprendeu”, disse a Natalia Molina a um jornal local argentino. E acrescentou: “Trata-se de dançar, não importa se alguma vez o fizeste. O importante é recomeçar sempre. É disso que se trata.”

Outros casos de sucesso

Quando, em 2008, Yulissa Arescurenaga começou a praticar a modalidade, talvez não soubesse que viesse a tornar-se instrutora. Porém, tal como Luciana Peralta, era esse o seu sonho, apesar da saúde condição de saúde. Seis anos depois de muito trabalho, esforço e dedicação, a jovem cumpriu e obteve a sua certificação para o efeito.

Atualmente, esta mulher norte-americana, de 25 anos, dá aulas em São Francisco. “A Zumba é para toda a gente, e todos podem praticá-la. Não sentes que estás a fazer exercício, é como se fosse uma festa”, afirmou, no ano passado, numa reportagem ao site Today.

Para a mãe de Yulissa, Marlene Palomino, a história só pode ser inspiradora. “Fico orgulhosa de a ver com um sorriso. Creio que partilhar a história da minha filha pode servir de inspiração para outros e para mostrar ao mundo que as pessoas com Síndrome de Down são capazes de fazer tudo”.

Miss com Síndrome de Down comove Estados Unidos

Aliás, a campanha portuguesa em torno da doença, realizada a propósito do dia Mundial, que se assinalou a 21 de março, tinha este mesmo propósito: mostrar pessoas portadoras de Trissomia 21 que trabalham, que se apaixonam, que têm vidas comuns.

Filha de Bibá Pitta amante de kizomba

Madalena, de 20 anos, também tem Trissomia 21 e vive na dança uma das suas paixões. Em declarações recentes ao Delas.pt, a mãe, Bibá Pitta, contava isso mesmo, revelando que a filha surpreendia – e surpreende – tudo e todos sempre que começa a dançar. “Ela dança kizomba como ninguém, é um gosto vê-la. Adora sair e convidam-na sempre porque sabem que ela aprecia, usufrui muito desses momentos”, revelava Bibá, em março.

Para lá deste gosto, Madalena pratica ainda equitação e vê na moda uma oportunidade. “Ela gosta de estar bonita. É modelo fotográfico e de passerelle também. Já fez variadíssimas fotografias, fez uma campanha para o Boticário para o Dia da Mãe e já representou uma marca portuguesa”, relembra a mãe, que conta que a carreira de Madalena, “indo de vento em popa”, tem ainda muito por onde se revelar.

“Adorava que ela fosse a uma ModaLisboa, a um Portugal Fashion, uma coisa à séria, onde mostrasse os seus dotes de modelo, mas pudesse também ser voz pela integração e pela diferença”, revelou recentemente ao Delas.pt e a propósito do Dia Mundial dedicado à doença, a 21 de março.

Imagem de destaque: DR

Miss com Síndrome de Down comove Estados Unidos