Subir

Marcelo: 2017 pôs à prova “o melhor das portuguesas e dos portugueses”

Numa formulação que já lhe é conhecida, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa falou ao país, na Mensagem de Ano Novo, dirigindo-se às “portuguesas e aos portugueses” e à forma como lidaram com as tragédias que assolaram o país. Num 2017 em que “tudo” foi posto “a prova”. “O melhor de nós – a resistência, o afeto, a iniciativa e a fraternidade militante, que levou mais longe ainda a nossa proverbial solidariedade”, enumerou o Presidente da República.

Mais do que falar de 2017, o chefe de Estado falou de dois anos num só, que chamou de “estranho e contraditório”: o de vitórias até 16 de junho e o de tragédias após essa mesma data. A 17 de junho deflagravam os incêndios em Pedrógão Grande, onde morreram mais de 60 pessoas. Uma tragédia que voltaria a repetir-se em outubro.

Marcelo, que recupera de uma cirurgia a uma hérnia, evocou o passado para “apelar a que, no que falhou em 2017, se demonstre o mesmo empenho revelado no que nele conheceu êxito”.

“O ano que ora começa tem de ser, pois, o ano dessa reinvenção”, afirmou, falando de “verdade, humildade, imaginação e consistência”.

“Esta é a palavra de ordem que vem do Povo, deste Povo, do mais sofrido, do mais sacrificado, do mais abnegado”, disse o chefe de Estado.

Leia a mensagem do presidente na íntegra aqui

(Em atualização)

Imagem de destaque: DR