Subir

Marisa Matias: a vitória na derrota

Marisa Matias fez a sua declaração de reação aos resultados das eleições presidenciais cerca das 21h30 da noite, quando as sondagens a davam como terceira na corrida à Presidência. As projeções davam-lhe cerca de 9% dos votos.
A candidata apoiada pelo Bloco de Esquerda, envergando uma t-shirt estruturada branca, afirmou que o principal objetivo da campanha não tinha sido alcançado: conseguir provocar uma segunda volta nestas eleições para Presidente da República.
Mas, apesar desta derrota, Marisa Matias apresentou-se sorridente e o seu discurso apontou para a vitória da democracia e do apoio crescente para os ideias da esquerda menos tradicional:

“Em democracia o mais precioso que temos é a decisão dos portugueses e portuguesas.
Um dos grandes objetivos desta candidatura era a segunda volta.
Os resultados também demonstram que é uma enorme onda de esperança que está a crescer no nosso país.
O resultado desta candidatura é uma expressão muito clara dessa esperança que esta a crescer.
Milhares de portugueses e portuguesas me contaram as suas histórias.
Muitas pessoas me pediram que não as esquecesse e que não desistisse. Confirmo nesta ocasião que não as esquecerei e não vou desistir.
Comigo podem contar sempre, juntos vamos conseguir.”

Questionada pela imprensa acerca da conclusão final sobre os resultados estimados, se eram afinal uma vitória ou uma derrota, Marisa Matias afirmou:

“Esta noite sabe-me a democracia”

Com este resultado, Marisa Matias consegue ultrapassar a candidata Maria de Belém, militante do PS até à apresentação da candidatura à Presidência da República, e até à polémica das subvenções a favorita entre as mulheres. Belém tinha na mesa altura, cerca de 4% das expectativas de voto.


Veja o que une e o que separa as duas candidatas à Presidência


Marisa Matias ultrapassa também os resultados que Francisco Louçã, candidato da mesma área política à Presidência da República, tinha conseguido na última vez que o BE apoiara um candidato publicamente. Em 2006, foram apenas 5% os votantes que escolheram um candidato à esquerda.

Ao final da noite, já com todas as freguesias apuradas, Marisa Martins contou 10% dos votos a nível nacional. Marisa Matias figura em terceiro lugar em quase todos os distritos, ultrapassada por Edgar Silva em Évora, Beja e na Madeira. Coimbra, de onde a candidata é originária, foi o distrito onde conseguiu maior percentagem de votos (13,91%), seguido de Faro (13,78%) e Setúbal (13%).

 

Carla Macedo