Modtissimo começa amanhã no Porto

A 51ª edição do Modtissimo abre esta quarta-feira no Porto. O salão da fileira têxtil nacional regressa nos dias 21 e 22 de fevereiro ao Aeroporto Francisco Sá Carneiro, espaço que acolhe, pela terceira vez, esta feira.

A escolha do aeroporto da cidade Invicta, em 2016, para a realização do evento refletiu-se no “aumento da qualidade e quantidade de visitantes nacionais e estrangeiros e do tempo de permanência na feira,” frisa a organização, citada pela Lusa. O “sucesso desta localização” fez com a escolha para a edição de inverno de 2018 do Modtissimo recaia novamente no Aeroporto Francisco Sá Carneiro. Este é o terceiro ano consecutivo em que a Modtíssimo de inverno se realiza nestes espaço, enquanto a edição de verão se prevê que aconteça, como de costume, no edifício da Alfândega.

Conhecida como a “única feira no mundo que se realiza num aeroporto em funcionamento”, tal como destaca Manuel Serrão, diretor geral da feira, o Modtissimo – organizado pela Selectiva Moda, constituída pela Associação Têxtil e Vestuário de Portugal (ATP) e pela Associação Nacional dos Industriais de Lanifícios (ANIL) – leva até aos pisos de partidas e chegadas deste aeroporto diversas atividades e as principais novidades da indústria têxtil e vestuário nacionais, apresentando propostas em várias áreas: tecidos, acessórios, confeção, moda infantil e serviços.

O certame conta com mais de 200 expositores. No piso das partidas, estarão concentrados os expositores dos tecidos e acessórios para confeção e dos produtores de moda para adulto. No piso das chegadas marcará presença Fórum Novos Talentos (com a apresentação da coleção dos vencedores do Concurso Jovens Criadores do edição anterior) e os produtores de moda de criança e o Fórum Criança. Na zona central do aeroporto encontrar-se-ão o ‘check-in‘ da feira, o Fórum de Tendências de Tecidos e o Fórum Expositor.

Paralelamente à exposição, há ainda iniciativas que dão a conhecer o setor têxtil português, como TechtStyle Showcase – Textile Innovation and Business Platform, um espaço criado em parceria com o Citeve, com o intuito de mostrar aos visitantes a inovação nos negócios têxteis portugueses, aplicadas tanto a produtos como a métodos de produção. As empresas selecionadas para marcar presença neste espaço estarão a concurso e serão candidatas ao prémio ‘iTechstyle Awards’, entregue anualmente pelo Citeve.

Do programa do Modtissimo fazem ainda parte seminários e workshops, destinados tanto a estudantes de design e moda e a empresas e uma novidade: um espaço polivalente – o Modtissimo Experience – no piso das chegadas, que integra a apresentação dos desfiles do Concurso Jovens Criadores (uma prova em que os jovens fazem parceria com uma fábrica para apresentarem os seus coordenados) deste ano e que oferece ainda diversas experiências: tratamentos de beleza, gastronomia, fotografia, entre outras.

Esta feira destina-se tanto aos profissionais do setor, como às pessoas que não têm qualquer envolvimento profissional com o mesmo. “Existem inúmeras áreas abertas ao público em geral, como por exemplo a zona com as tendências de primavera/verão de 2019, que estarão à vista de todos no aeroporto”, explica Manuel Serrão, responsável pelo certame, ao Delas.pt. “As expectativas para esta edição são excelentes, porque no registo dos pré-inscritos temos mais 10% do que na edição do ano passado na mesma altura. Portanto, tudo indica que vamos aumentar o número de visitantes”, afirma Manuel Serrão.

Modtissimo desde 1992 mas com características distintas

O Salão Modtissimo, criado em 1992, começou, em Portugal, por ser uma mostra exclusiva de tecidos estrangeiros. A partir da sua terceira edição, passou a contar também com a participação de expositores nacionais, aos quais se juntariam mais tarde produtores de moda e de têxteis técnicos.

Ainda que desde a 27ª edição do evento o edifício da Alfândega do Porto seja a ‘casa’ principal da iniciativa, algumas edições são organizadas em “locais inesperados”. Desde 2016, o Aeroporto Francisco Sá Carneiro é palco da edição de inverno.

De acordo com os últimos dados do INE – Instituto Nacional de Estatística, divulgados pela agência Lusa, as exportações nacionais de vestuário e têxtil atingiram um “recorde absoluto” em 2017, aumentando 4% em relação ao ano anterior.

Com Lusa

Inditex compra 1500 milhões de euros por ano a Portugal

Portugueses Marques’Almeida na linha da frente para fundo britânico

Têxteis portugueses querem conquistar Paris