Mónica Jorge: “O treino de futebol não está ainda preparado para o feminino”

34444799_GI24042019ALVAROISIDOR00023(1)
Mónica Jorge [Fotografia: Álvaro Isidoro / Global Imagens]

A diretora da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) para o futebol feminino, Mónica Jorge, defendeu a necessidade de promover um ensino académico de treino que englobe as diferentes características fisiológicas e mentais da mulher.

“O treino não está ainda preparado para o feminino. A fisiologia e a parte emocional da mulher são diferentes. Trabalhar com 23 mulheres no balneário é muito diferente. É preciso preparar um treino adequado ao papel da mulher. Podemos ter as mesmas formas de trabalhar e evoluir, mas o treino para a mulher tem de ser da mulher e feito pela mulher. É preciso olhar para elas de uma forma diferenciada”, apelou a dirigente.

Na conferência A importância da academia na formação e sucesso de treinadores de futebol em Portugal, organizada pela Universidade Lusófona, Mónica Jorge entende que há homens com capacidade para liderar uma equipa de mulheres e há mulheres sem esse perfil, e o contrário idem, com mulheres a poder treinar equipas masculinas.

Com entrada na federação em 2001, então ainda como treinadora-adjunta da seleção, Mónica Jorge apontou “23 anos de muita aprendizagem e capacidade de adaptação”, assumindo o cargo principal entre 2007 e 2011, antes de dar o lugar a Francisco Neto.

“Quando entrei, era uma equipa acostumada a perder, com goleadas. Transformou-se isto e batemos recordes, subimos no ranking mundial e criámos uma equipa capaz de dar nas vistas e ser uma referência no futebol feminino em Portugal. Nem treinador de guarda-redes tinha. Com jogadoras lusodescendentes e muita procura, lá conseguimos começar a ganhar jogos e ir a programas de televisão. Houve um presidente que teve a audácia de convidar uma mulher para diretora executiva da FPF”, recordou também.

LUSA