Subir

Mulheres vão ganhar o mesmo que os homens na seleção de futebol da Noruega

As mulheres e os homens futebolistas que joguem na seleção principal da Noruega vão ganhar o mesmo valor. O acordo alcançado entre a federação e os jogadores põe fim à diferença dos montantes pagos aos atletas das diferentes seleções, de acordo com o género.

Com a nova medida, a equipa de futebol feminina vai receber 640 mil euros mensais, cerca do dobro daquilo que era atribuído até à data: cerca de 330 mil euros. A verba será distribuída pelas jogadoras em função do número de jogos realizados.

O acordo envolveu também os jogadores masculinos, que aceitaram partilhar parte do dinheiro que recebem em direitos comerciais para contribuir para uma igualdade salarial nas duas seleções.

A Noruega dá, desta forma, um passo significativo na luta por direitos iguais no futebol e não é o único país onde a questão tem sido debatida.

Este verão, também o clube inglês Lewes FC, do East Sussex, anunciou que iria pagar o mesmo a atletas femininas e masculinos, já na nova época.

Também as futebolistas americanas acordaram este ano, com a federação de futebol do país um aumento de, pelo menos, 30% da sua remuneração base, nos contrato, assim como um aumento do valor dos bónus e dos prémios de jogo.

As novas regras são uma conquista de pelo menos cinco atletas de topo que, em 2016, interpuseram uma ação em tribunal para reivindicar a igualdade salarial, face aos seus colegas do sexo masculino.