Na ‘Guerra dos Tronos’ só não há batalha… salarial

Em Westeros, num mundo em que todos lutam contra lutam todos parece que há, surpreendentemente, uma matéria que os reconcilia – ao contrário do resto do universo: os salários! Quem o diz é Emilia Clarke.

A atriz, que deu vida a Daenerys Targaryen na série da HBO, veio esclarecer que ela e os seus colegas de elenco coprotagonistas recebiam o mesmo valor salarial. Uma revelação feita partir do Festival de Cinema de Cannes, onde Clarke está presente para a estreia do filme Solo: A Star Wars Story.

Emilia, com 31 anos, conta agora que, sendo uma desconhecida quando a série começou, os produtores apresentaram propostas duplas, tendo em vista o tratamento igualitário do elenco. “Na Guerra dos Tronos recebi sempre o mesmo que os meus colegas masculinos”, sublinha. Mesmo tratando-se do seu primeiro trabalho, a atriz recorda ainda: “E não fui descriminada no meu salário por ser mulher.”

Reconhecendo que o seu caso pessoal é diferente e muito raro, Clarke diz-se “chocada” com a desigualdade a que tem assistido em várias séries de renome, entre elas a The Crown, do Netflix.

“Na ‘Guerra dos Tronos’ recebi sempre o mesmo que os meus colegas masculinos”

Sobre a solução para a negociação, a atriz deixa uma proposta. “Quando começamos a olhar ao detalhe e a ver onde está o problema, comum na indústria, o importante é estar ciente disto [da desigualdade] e pedir para que a situação seja verificada.” Admite que o processo não será simples e até porque “se trata de um problema de sempre, uma matéria que não vai ser fácil mudar de repente, do dia para a noite”.

Mulheres fortes? Não, vamos é ser mulheres e pronto!

No filme que está agora a promover no Festival de Cannes, Emilia Clarke é Qi’ra, uma amiga de infância de Han Solo. À boleia da apresentação, a atriz revela que está entediada com a pergunta relativa ao que sente por estar a dar corpo a uma mulher forte. “Pensa que o papel principal num filme é feito em torno de uma mulher frágil? Já chega de mulheres fortes. Vamos ser apenas mulheres, pode ser?”, pede a atriz.

Imagem de destaque: Regis Duvignau/Reuters

Salma Hayek quer baixar os salários dos homens