Dador de esperma ajudou a conceber 550 bebés. Netflix faz série e a polémica instala-se

pexels-rdne-6149221
[Fotografia: Pexels/RDNE]

“Um grupo de famílias descobre que o homem carismático em quem confiou foi dador de esperma na conceção de centenas ou até milhares de crianças em todo o mundo.” É desta forma que a Netflix apresenta a série documental O Homem com 1000 Filhos em torno de um neerlandês, Jonathan Jacob Meijer, de 43 anos, que foi dador compulsivo de esperma e que se estima que tenha agora centenas de crianças espalhadas pelo mundo.

A Netflix foi ouvir agregados descontentes por ter descoberto esta realidade, mas Meijer – que recusou participar nesta minissérie – reagiu à estação pública britânica BBC e afirmou que a produção e “enganosa” porque apenas dá voz às famílias que estão descontentes e não àquelas que lhe estão agradecidas.

Na entrevista à Woman’s Hour, Meijer considerou que não vê “absolutamente nada de errado” em ser pai de centenas de filhos. “Eles deliberadamente deram o título [ao documentário] de O Homem com 1.000 Filhos, quando deveria ser ‘o doador de esperma que ajudou famílias a conceberem 550 crianças'”, detalhou, acrescentando: “Acho que a Netflix fez um ótimo trabalho ao selecionar cinco famílias [que estão infelizes] entre as 225 famílias que ajudei, e estas dir-lhe-ão com certeza outra coisa.”

Apesar de a Netflix não reagir a estas acusações, a produtora executiva Natalie Hill revelou que falou “pessoalmente com 45 ou 50 famílias” durante os últimos quatro anos, e que meia centena fez “declarações impactantes ao tribunal sobre as mentiras demeijer e imploraram ao juiz para que o levasse a parar”.

Dador em bancos e de forma privada

Nesta série, é revelado que Jonathan Jacob Meijer é dador há 17 anos, sendo que, para lá das doações em bancos especializados, também o terá feito de forma privada, diretamente com as famílias que procuravam gâmetas masculinos. O neerlandês terá sido impedido de continuar a doar esperma em 2017 segundo decisão do tribunal dos Países Baixos, numa altura em que se descobriu que já seria pai de 102 crianças, fruto de dádivas de esperma feitas a 11 clínicas em todo o território.

Segundo avança a BBC com base no trabalho da Netflix, Meijer terá continuado a fazer doações de gâmetas a outros países até ao ano passado, em 2023, quando terá sido travado por uma mulher que colocou uma ação civil contra o neerlandês por risco público de incesto para os filhos, que Meijer dizem ser entre 550 e 600 meios-mãos, mas o tribunal fala em mil espalhados pelos vários continentes.

À estação pública britânica, Meijer revelou que deixou de doar sémen para novos casais em 2019 e que só o fez para “gerar irmãos” em famílias que já tinham recorrido ao material genético dele. “O processo judicial foi basicamente inútil porque eu já parei, e o processo judicial não me proibiu de ajudar as famílias existentes”, revelou.