Subir

O Met decidiu o que fazer com o quadro mais polémico da sua coleção

O porta voz do Met já respondeu à petição lançada na passada sexta-feira para que a obra “Thérèse Dreaming” fosse retirada do museu. Keine Weine anunciou que a obra de Balthus irá permanecer em exposição.

Momentos como estes promovem a discussão, e a artes visuais são um dos meios mais significativos como reflexão do passado e presente, incentivando à evolução contínua da cultura existente através de uma discussão informada e respeito pela expressão criativa” defendeu Weine em nome do museu.

A pintura em questão data de 1938 e é da autoria do pintor francês Balthus. O quadro revela uma menina com a saia levantada acima do joelhos, as pernas ligeiramente abertas, as cuecas à mostra, os braços erguidos atrás da cabeça e os olhos fechados. Uma imagem bastante sexualizada para o aspeto infantil da personagem, foi o que acharam os milhares de nova-iorquinos que assinaram uma petição para que o quadro fosse retirado do Met Museum.

A obra de arte em questão faz parte da coleção permanente do museu e corresponde a um dos tema mais retratados por Balthus, não sendo esta a única obra da sua autoria que retrata menores de forma bastante sexual. Esta característica do seu trabalho foi realçada no título da exposição que o Met lhe dedicou em 2013: “Balthus: Cats and Girls — Paintings and Provocations” (‘Balthus: Gatos e Meninas- Pinturas e Provocações”. O cariz sexual da exposição levou inclusivamente a um aviso na sua descrição , onde se podia ler “Algumas das pinturas contidas nesta exposição podem perturbar alguns visitantes”.

“Thérèse Dreaming” de Balthus, 1938

A petição foi lançada na sexta feira por Mia Merrill de 30 anos, que ficou chocada com o quadro e pede 9000 assinaturas para dar força a uma carta dirigida ao Met em que irá pedir para que o museu ” considere seriamente as implicações das peças de arte que pendura nas suas paredes, e a ser mais consciencioso na contextualização das sua peças para os visitantes. Isto pode ser feito removendo esta peça desta galeria em particular ou fornecendo uma descrição mais detalhada da peça, por exemplo, uma breve linha que diga ‘Alguns visitantes consideram esta peça ofensiva ou perturbadora devido à predileção de Balthus por retratar meninas'”.

Em 2013 este quadro, intitulado “Thérèse Dreaming”, não provocou nenhuma reação tão extrema, apesar de algumas críticas à exposição “Balthus: Cats and Girls — Paintings and Provocations” referirem a fixação do pintor por jovens raparigas e admitirem que o universo retratado remete para um imaginário voyeurista e pedófilo. Numa altura em que a violência sexual está na ordem do dia, sobretudo nos EUA, onde foram muitos os casos de assédio sexual revelados, este caso ganha uma maior relevância e consequências reais.

Como o feminismo vai fechar as pernas de Alexander Wang