Subir

Se Trump pode ser presidente dos EUA, porque é que Oprah não pode?

A decisão está longe de ser tomada, mas a conceituada apresentadora norte-americana não descarta a possibilidade de vir a fazer carreira política e, quem sabe, candidatar-se à Casa Branca, cujas próximas eleições estão previstas para 2020.

Na base desta ideia está o facto de Donald Trump – sem experiência política ou militar – ter chegado e conquistado o mais alto cargo dos Estados Unidos da América e de isso causar surpresa a uma das mais poderosas e influentes mulheres daquele país.

a carregar vídeo

As declarações de Oprah, com 63 anos, foram dadas no programa televisivo The David Rubenstein Show: Peer-to-Peer Conversations , do canal de economia Bloomberg e em resposta à pergunta se considerava a hipótese de se candidatar às presidenciais.

Depois de uma pausa e do sorriso do público, Winfrey respondeu que “nunca” tinha “pensado nisso”, “nunca” tinha achado que “fosse uma possibilidade”. Mas depois, olhando para o que está a acontecer, acrescentou: “Oh… Oh…”

E, seguindo a mesma linha de raciocínio e perante a confrontação do jornalista com o facto de Trump não ter qualquer experiência política ou militar, a apresentadora acrescentou: “pensei ‘eu não tenho a experiência, eu não sei o suficiente’. E agora penso ‘Oh’”

Já não é a primeira vez que Winfrey e Trump surgem juntos numa conversa de natureza eleitoral. Em junho de 2015, em entrevista ao programa de George Stephanopoulos, no canal ABC, o multimilionário americano, já em campanha para as primárias e pelos republicanos, exortava a apresentadora a juntar-se à sua conquista pela Casa Branca. Foi até mais longe ao dizer que caso se digladiasse com Winfrey, “facilmente ganharia” à apresentadora.

Já em 1999, Trump tinha pensado em Winfrey como companheira de jornada, mas o milionário acabou por não se candidatar.

Pouco célere a reagir as provocações, a apresentadora respondeu ao repto de 2015 um ano depois, em entrevista a Jimmy Kimmel. “Donald, estou com ela”, respondeu Winfrey fazendo referência ao slogan e ao seu apoio a Hillary Clinton.

No mesmo espaço de entrevista, então em 2016, a também atriz deitou por terra quaisquer possibilidades de se vir candidatar à Sala Oval. “Nunca”, reagiu, tendo, no entanto, admitido que, tendo em conta as eleições de 2016, ela estava, afinal mais do que qualificada para concorrer ao mais alto cargo político norte-americano.

“Durante muitos anos, costumava pensar – até à eleição deste ano [o ano passado] – “Uau, eu não tenho… Porque é que as pessoas esperam isso? Não tenho quaisquer qualificações para concorrer. Depois deste ano, sinto-me muito qualificada”, afirmou.

Caso decida pensar melhor na possibilidade de concorrer, esta multimilionária, com uma fortuna estimada em mais de 2,8 mil milhões de euros (3 biliões de dólares, segundo a revista Forbes) tem atrás de si um império em matéria de reconhecimento junto da opinião pública. Uma visibilidade que lhe tem chegado por via do seu trabalho de décadas desenvolvido nos media, algo que também beneficiou Trump.

[Fotografia: Twitter]

[Fotografia: Twitter]

Os envolvimentos políticos de Winfrey

Ativista e líder de opinião pública, Oprah tem, ao longo da sua carreira, participado em diversas campanhas sociais, mas também políticas. Neste último capítulo, a apresentadora foi uma das angariadoras de fundos em estados como o Iowa, Carolina do Sul e Califórnia para a candidatura de Barack Obama, quer nas primárias de 2007, quer depois na eleição presidencial em 2008.

A revista norte-americana Variety cita mesmo um estudo realizado à data que conclui que o envolvimento de Winfrey na candidatura democrata contribuiu para “um significativo aumento estatístico e qualitativo” dos votos na primeira ronda de votações.

Recentemente, Hillary Clinton também contou com o apoio da apresentadora mas de uma forma mais discreta, tendo sido considerado um apoio feito de uma forma “estranha”. “A razão pela qual eu não fui mais além do que apenas dizer ‘apoio-a’ foi porque não sabia o que poderia dizer que conseguisse ultrapassar todo o ruído e caos”, explicou em entrevista ao seu próprio canal OWN e em conversa com T.D. Jakes.

CB