Paridade: Governo diz que lei pode chegar até ao “fim do primeiro trimestre”

Há um novo horizonte estabelecido e quem o revela é a secretária de Estado para a Igualdade, Rosa Monteiro. Ao Delas.pt, a governante garantiu que a Lei da Paridade na Administração Direta e Indireta do Estado poderá chegar até ao final de março. “Espero que ainda no primeiro trimestre deste ano tenhamos boas notícias em matéria de paridade”, revela, recusando qualquer intenção de atrasar a apresentação do diploma e de o ter colocado na gaveta.

Não tenho gavetas no meu gabinete. Tenho armários e todos abertos e sem portas. Estamos a trabalhar no diploma, que é complexo, envolve muitos setores e estamos a produzi -lo. Em breve, estará a surgir”, assegura.

Sobre as razões do atraso, reveladas pelo Bloco de Esquerda esta quarta-feira, 14 de fevereiro ao DN, Rosa Monteiro justifica: “Tem apenas que ver com complexidade do diploma, obviamente.” E diz mais. “Os tempos que conseguimos nem sempre são os que queremos.

“No início, quando houve esse acordo [para ser apresentada até 31 de dezembro de 2017] estava também em questão a harmonização e a complexidade envolvida com as questões da Cresap (Comissão de Recrutamento e Seleção para a Administração Pública] e temos vindo a trabalhar nessas matérias e com todos os setores”, justifica a secretária de Estado.

O diploma passará por, entre outras medidas, reivindicar a presença de 40% de mulheres na administração direta e indireta do Estado, nas Universidades, 33,3% nas associações públicas. Ao Delas.pt, Rosa Monteiro recusa, para já, dar quaisquer detalhes do que está a ser preparado.

Imagem de destaque: Leonardo Negrão/Global Imagens