Poeiras de África em janeiro? DGS faz duas recomendações

pexels-anastasia-shuraeva-4122915
[Fotopgrafia: Pexels/Anastasia Shuraeva]

A DGS recomenda à população em geral para evitar esforços prolongados e atividades físicas ao ar livre e aos idosos e crianças a ficarem em casa, devido à concentração de poeiras no ar provenientes do Norte de África.

Uma massa de ar proveniente dos desertos do Norte de África, que transporta poeiras em suspensão, está prevista atravessar esta segunda-feira, 29 de janeiro, Portugal Continental, segundo um comunicado da Direção-Geral da Saúde (DGS).

“Prevê-se a ocorrência de uma situação de fraca qualidade do ar no Continente, registando-se um aumento das concentrações de partículas inaláveis de origem natural no ar afetando, nomeadamente, as regiões do Alentejo e Algarve e o interior da Região Centro”, destaca.

Este poluente (partículas inaláveis – PM10) provoca efeitos na saúde humana, principalmente na população mais sensível, como crianças e idosos, cujos cuidados de saúde a DGS recomenda a serem “redobrados” durante a ocorrência destas situações.

Enquanto este fenómeno se mantiver, a DGS diz que a população em geral deve evitar os esforços prolongados, limitar a atividade física ao ar livre e evitar a exposição a fatores de risco, tais como o fumo do tabaco e o contacto com produtos irritantes.

Crianças, idosos, doentes com problemas respiratórios crónicos (como asma) e doentes do foro cardiovascular, devido à sua maior vulnerabilidade aos efeitos das poeiras, para além de cumprirem as recomendações para a população em geral, “devem, sempre que viável, permanecer no interior dos edifícios e, preferencialmente, com as janelas fechadas”.

Quanto aos doentes crónicos, a DGS recorda que devem manter os tratamentos médicos em curso.

LUSA