Trabalho dos cuidadores informais vale 82 milhões por semana

As contas têm tanto de astronómico como de silencioso. Em 2016, a Associação Cuidadores Portugal estimou que o trabalho feito por pessoas que têm familiares doentes a cargo, em casa, vale mais de 82 milhões de euros por semana.

Cuidados que são prestados, quer em Portugal, quer na Europa, sobretudo por mulheres, com idades compreendidas entre os 45 e os 75 anos. Por cá, a maior parte dos cuidadores informais está ainda em idade ativa, mas revela dificuldades em conciliar estas funções dentro de casa com as do trabalho, comprometendo muitas vezes o segundo. Têm ainda, em média, baixas habilitações académicas.

Num ano, a mesma entidade estima que, no território nacional, seriam necessários gastar quatro mil milhões de euros – “mais precisamente 3 951 223 008 euros” -, para cuidar de todas estas pessoas. Valores que têm por base o salário mínimo mensal. Até ao momento, não foi possível obter mais detalhes sobre os dados do estudo junto da Associação Cuidadores de Portugal.

Os valores e os dados apresentados constam do documento que deverá servir de base à definição do Estatuto do Cuidador, com o título Medidas de Intervenção junto dos Cuidadores Informais – Documento Enquadrador, Perspetiva Nacional e Internacional, e que começará a ser discutido esta sexta-feira, 9 de fevereiro, na Assembleia da República.

Só pode cuidar dos outros se cuidar de si. Conheça os 10 sinais de alerta

Imagem de destaque: Shutterstock