Subir

Portugal Fashion à conquista de Londres e do mundo

O Portugal Fashion já está em digressão pelas principais semanas de moda da Europa. Na London Fashion Week, que começou no dia 18 de fevereiro, quatro estilistas portuguesas ofereceram, durante o fim de semana, performances para compradores, editores de moda e outros profissionais. As criadoras portuguesas apresentaram as suas propostas outono-inverno 2016-2017 em showroom, no Brewer Street Car Park.

O edifício de arquitetura arte déco, no coração do bairro boémio de Soho, recebeu Daniela Barros, de 29 anos, a primeira designer nacional a expor o seu trabalho. Oriunda de Penafiel, confessou ao Delas.pt estar satisfeita com esta aposta promocional que lhe deu “acesso mais direto aos compradores, sejam clientes finais sejam retalhistas” e reforça:

“É uma janela para nos mostrarmos no mundo inteiro”.

A coleção que apresentou baseia-se segundo a própria “na desconstrução de linhas de alfaiataria clássicas em tecidos mais finos”.

Daniela Barros

“WoMan” deu nome às propostas de Alexandra Moura, desenvolvidas a partir do conceito “transgénero, com detalhes femininos em peças masculinas”. O líder da banda Antony and The Johnsons, Antony Hegarty, inspirou a estilista lisboeta nos “detalhes quase de roupa interior vitoriana”. Alexandra também reconheceu que “é essencial sair de Portugal”:

“A minha marca está muito direcionada para o mercado internacional. Portugal já está mais aberto, mas aqui somos completamente compreendidos o que é muito gratificante. E, cada vez mais, os parâmetros da moda querem uma linguagem internacional”.

Alexandra Moura

Alexandra Moura

O apoio do Portugal Fashion é, para a criadora, “uma mais-valia para consolidar outros voos”, assegurando que, à margem da vontade de conquistar mercados além-fronteiras, “a coleção será sempre feita em Portugal”.

Exportar é também o objetivo de Carla Pontes. Com sede em Barcelos, a designer já tinha marcado presença no Internacional Fashion Showcase em Londres:

“Esta divulgação e apoio dão-nos uma grande responsabilidade e motivam muito. É uma área tão competitiva, tão difícil que sem apoio da ANJE [Associação Nacional de Jovens Empresários, organizadora do Portugal Fashion] seria quase impossível expor aqui. Queremos ser uma marca para o mundo e estas parcerias são fundamentais. Virem descobrir as nossas marcas é muito importante e faz-nos chegar ao outro lado do mundo”.

“Mountain” foi a temática que definiu formas e cores como “os verdes secos, os húmidos, os brancos gélidos, os tons amarelados até aos mais vivos e azuis”.

Carla Pontes

Carla Pontes

De regresso à cidade onde estudou e viveu oito anos, Susana Bettencourt foi às origens em peças que afirmam um trajeto de quem cria agora a partir de Vila Nova de Famalicão.

“Algumas pessoas devem achar estranho ter voltado para Portugal, mas a verdade é que essa é a minha maior felicidade e isso nota-se nas coleções. Produzo muito melhor lá, sendo que é muito importante ter a cabeça aberta”, assegurou.

Consciente da importância do mercado externo, a açoriana reconheceu que “as vendas, em certas coleções, surpreendem em Portugal”. Para ela, “a semana de moda de Londres ajuda a espalhar o nosso nome e também o nome de Portugal”. Ainda falada por ter vestido Lady Gaga em 2011, Susana aposta agora numa outra forma de promoção:

“Estamos focados mais em meios de comunicação ou pessoas especializadas em moda, em vez de celebridades, pois não queremos banalizar”.

As malhas que caracterizam a marca Susana Bettencourt foram elogiadas pela jornalista e antiga diretora de moda do jornal britânico Telegraph, Hilary Alexander, que, nas redes sociais, partilhou uma imagem da performance.

Instagram de Hilary Alexander

Instagram de Hilary Alexander

Tiago Moura, 26 anos, é o responsável pela coordenação da presença lusa no showroom, contíguo ao espaço onde decorrem os desfiles que integram o programa da London Fashion Week. Todos os eventos fazem parte, em paralelo, do calendário oficial que arrancou no dia 19 e se prolonga até terça-feira (23). Os convites foram articulados também por Tiago que há cinco anos emigrou para Inglaterra. Artista de música, partiu de Lisboa sem garantia de emprego, mas com talento para desenvolver conceito. Começou a servir cafés mas, atualmente, dirige a Heavy London, uma empresa focada no desenvolvimento de marcas. Conhecido profissionalmente como Nicholas Vallechi, considera que “está a ser um grande desafio trabalhar com as portuguesas e ver a evolução delas. Temos quebrado regras e somos o primeiro showroom a fazer apresentações que estão a causar impacto”, destacou.

O diretor de comunicação do Portugal Fashion, Rafael Alves Rocha, aprovou o conceito:

“É muito bom chegar a uma cidade como Londres, com um mercado muito particular, diferente de todos os outros, mais alternativo, onde as coisas têm sempre um primeiro impacto muito forte, e ver que quatro criadores portugueses chegaram a este showroom comercial/imprensa, concretizando um dos objetivos da ANJE: fazer negócio e contribuir para a economia nacional”.

A presença portuguesa na Semana de Moda de Londres completa-se com Estelita Mendonça, HIBU, UNT, KLAR e Pedro Neto, na Internacional Fashion Showcase, em estreita parceria com a AICEP Portugal Global e o apoio da Embaixada. Na Somerset House, onde decorrem estas apresentações, Portugal divide o protagonismo com outros 23 países no evento organizado pelo British Council e pelo British Fashion Council.

Sara Oliveira