Subir

Português detido por liderar uma rede de tráfico de mulheres

As autoridades venezuelanas confirmaram hoje, dia 27 de agosto, terem detido um homem português, de 65 anos, suspeito de liderar uma rede de tráfico internacional de mulheres destinadas a prostituição, na sequência de uma investigação policial que durou vários meses.

A detenção, segundo fontes da polícia venezuelana, foi feita na quarta-feira passada no estado venezuelano de Zúlia (710 quilómetros a oeste de Caracas) por oficiais das Forças de Ações Especiais (FAES) da Polícia Nacional Bolivariana (PNB). A localização e identificação aconteceram na sequência de uma investigação policial que determinou que Joaquim Eugénio da Costa arranjava “documentação a mulheres, sob ofertas enganosas de trabalho, para que saíssem” da Venezuela, sendo que, “uma vez chegadas ao destino, eram obrigadas a trabalhar na prostituição”.
Também o ministério do Interior, Justiça e Paz da Venezuela, confirmou, através de uma publicação na rede social Twitter, a detenção do português, referindo que “o FAES capturou o líder de uma organização dedicada ao tráfico de mulheres”.
Sem avançar mais pormenores sobre o caso, as autoridades venezuelanas adiantaram que a investigação da rede internacional de tráfico de mulheres durou vários meses.
No momento da detenção de Joaquim Eugénio da Costa, foram confiscados vários passaportes e documentos pessoais de várias mulheres portuguesas, espanholas e chinesas, que as autoridades suspeitam serem vítimas da rede.

Imagem de destaque: Shutterstock

Lusa