Subir

Querido Joulupukki, nunca acreditei que existisses

Querido Joulupukki,

durante anos a fio nunca acreditei que existisses. Foram precisos quarenta e um anos para perceber que és Verdade. Estive no teu país e percebi por entre as ruas, edifícios, pessoas e escolas por onde passei (poucas, inclusive) que o que vi só é possível se nesse país existir, e viver, um homem de uma gigante generosidade a comandar o sonho de um povo.

Certo é que a partir do momento em que vivenciei o teu país, acreditei(o) em ti e também comecei a escrever-te cartas. Este ano tenho um desejo único: uma escola diferente, uma escola sem muros (físicos, culturais, cívicos, emocionais…).

Desejo que à mesma velocidade que enches o mundo com presentes, que inundes as Escolas com caixas cheias de valores, determinação, profissionalismo, dedicação, inteligência, comunicação, cooperação.

Desejo que da mesma maneira que respondes a todos os que te escrevem, que ajudes os professores a dar resposta ao projeto de aprendizagem de cada estudante e família.

Desejo que na mesma medida da tua humildade, ofereças às Escolas um letreiro que diz: Nesta Escola cabem Todos…

Desejo que ofereças às Escolas alegria, dedicação, esforço, humanização, dignidade e muito amor aos que dela fazem parte.

Desejo que da mesma maneira que despertas a curiosidade na mente dos humanos, que possas oferecer às Escolas um lugar de conhecimento, que não pense unicamente num currículo de disciplinas.

Desejo que, do mesmo modo que cuidas da felicidade de todas as crianças, ofereças às Escolas ferramentas que derrubem portas, janelas, muros e permitam que alunos, professores, auxiliares, famílias e comunidade se Olhem.

Desejo que ofereças pacotes de escuta e de partilha aos professores e se abandone a Escola do ensino transmissivo, impessoal e “surdo”.

Desejo que ofereças redes às Escolas: redes de cultura, ciência, aprendizagem, comunicação, democratização e cooperação.

Desejo que ofereças a todos os que estão envolvidos na Educação formal, informal ou não formal prateleiras com frascos de oxigénio para que todos possamos voltar a respirar ou a renovar os nossos “respiros”.

Sabemos que não há “fast-solution” para os problemas que existem nas escolas. Mas nós queremos ser “slow”. Queremos ter tempo para parar, refletir e agir em conjunto. É possível repensar e sonhar dentro das Escolas, elas são um lugar orgânico, com Vida. Queremos construir esta bonita história da Escola e daqui a um ano poderes contá-la… “A história do esforço de um povo que, apesar de não ter o Pai Natal como seu cidadão, acredita na magia do renascer e na generosidade das pessoas…”
Feliz festa do renascimento de cada um de nós!

* Senhor Joulupukki
96930 Napapiiri
Finlândia