Trump condenado por agressão sexual e a pagar 5 milhões de dólares

COMBO-FILES-US-POLITICS-TRUMP-RAPE-JUSTICE
E. Jean Carroll e Donald Trump [Fotografia: Montagem Kena Betancur and Andrew KELLY / various sources / AFP]

O veredicto foi anunciado num tribunal federal na cidade de Nova Iorque, no primeiro dia de deliberações do júri. Os nove jurados determinaram por unanimidade que Trump não foi responsável pela acusação de “violação” por parte da ex-colunista de imprensa E. Jean Carroll, mas consideraram-no responsável por agredi-la sexualmente e por difamação, noticiou a agência Associated Press (AP).

A decisão foi anunciada pelas 15:00 (20:00 em Lisboa) depois dos jurados terem chegado a uma deliberação em menos de três horas. O tribunal de Manhattan também decidiu que Trump deve pagar cerca de 5 milhões de dólares em danos por aquela agressão sexual e por difamação após a revelação dos factos por Carroll em 2019.

Carroll assentiu enquanto o veredicto era lido e, depois disso, os seus advogados abraçaram-na e a colunista abraçou apoiantes na galeria, sorrindo enquanto estava em lágrimas. O advogado de Trump, Joseph Tacopina, apertou a mão a Carroll e abraçou a advogada desta, Roberta Kaplan.

À medida que o tribunal se esvaziava, Carroll podia ser ouvida a rir e a chorar, de acordo ainda com a AP.

À saída do tribunal, a colunista não prestou declarações, enquanto a equipa de defesa de Trump já anunciou que pretende recorrer.

Carroll, uma das mais de uma dúzia de mulheres que acusaram Trump de agressão ou assédio sexual, veio a público em 2019 alegando que o magnata republicano a violou em 1996 num vestiário de uma loja em Manhattan.

Trump, de 76 anos, optou por não comparecer no julgamento civil, mas disse que nunca encontrou Carroll, de 79 anos, na loja e não a conhecia.