Violência doméstica. Quase dois crimes registados por hora no primeiro semestre de 2022

pexels-anete-lusina-5723194
[Fotografia: Anete Lusina/Pexels]

A Polícia de Segurança Pública registou 41 crimes por dia de violência doméstica entre janeiro e maio deste ano, num total de 6.200 ocorrências, e deteve 354 pessoas, revelam dados enviados à Lusa por aquela força de segurança. Ora, contas feitas, são cerca de 1,7 crimes reportados por hora nos primeiros seis meses do ano, e que indicam um decréscimo de 6% face a igual período de 2019, último ano antes da pandemia.

A força de segurança salienta que o número de crimes de violência doméstica registados este ano são superiores aos de 2020 e 2021, marcados por períodos de confinamento devido à pandemia de covid-19, mas “ainda assim, em média, inferiores aos de 2019”.

Os dados indicam também que a PSP realizou, entre janeiro e maio, 354 detenções pelo crime de violência doméstica, uma média 2,3 por dia, enquanto em 2019 tinham sido feitas 296 detenções.

No contexto de violência doméstica, a PSP apreendeu 111 armas de fogo, apesar de não terem sido empregues na concretização do crime “foram referenciadas na avaliação de risco realizada pela PSP e apreendidas cautelarmente”.

No âmbito da prevenção e combate à violência e como medidas protetoras para as 6.200 ocorrências, a PSP elaborou, nos cinco primeiros meses deste ano, 16.900 planos individuais de segurança, 10.680 propostas de reforço junto da vítima de informação sobre recursos de apoio e 4.876 propostas de sinalização de menores à Comissão de Proteção de Crianças e Jovens em Risco.

A PSP refere que criou as Estruturas de Atendimento Policial a Vítimas de Violência Doméstica (EAPVVD) para “melhorar o acompanhamento das vítimas” e o primeiro espaço dedicado às vítimas de violência doméstica foi criado no Porto em 2013.

De acordo com a polícia, este espaço no Porto registou 8.311 denúncias em nove anos de funcionamento, tendo sido efetuados 19.725 atendimentos personalizados a vítimas deste crime e realizados 41.540 contactos com vítimas após serem recebidas as denúncias.

A PSP tem ainda mais seis EAPVVD situadas no Comando Metropolitano de Lisboa, nomeadamente o Espaço Júlia, criado em 2015, a Casa da Maria, Campus da Justiça, Espaço Eu Consigo, Espaço OKAZO e Casa Pilar.

A PSP alerta para a necessidade de vítimas e testemunhas manterem a disponibilidade de denúncia das situações de violência doméstica, frisando que todas as situações sinalizadas são “de imediato alvo de avaliação de risco no sentido de serem adotadas com brevidade as medidas de segurança de proteção da vítima”.

Qualquer situação suspeita pode ser feita por intermédio do e-mail [email protected] ou de modo presencial nas esquadras.

Lusa