De onde são as vítimas do pior dia de chamas em Portugal

A Comissão Europeia adiantou que em Portugal este ano arderam mais de 316 mil hectares. Domingo foi o dia mais sombrio do ano, em que o fogo lavrou cerca de 54 mil hectares, no Centro e Norte do país. 80% do Pinhal de Leiria é agora um cenário escuro, sem vida e coberto de cinzas.

O pior dia do ano em número de fogos deflagrados, e em dados oficiais, levou a vida a 37 pessoas e 1 permanece desaparecida.

O Portugal “desolado” como se pode ler na imprensa espanhola, enfrentou mais de 500 fogos com a mobilização de 6318 bombeiros.

Patrícia Gaspar, adjunta da Autoridade Nacional da Proteção Civil (ANPC), identificou os locais onde, até ao momento, foram recolhidos os corpos dos civis que não sobreviveram a este domingo dantesco.

O distrito mais castigado foi o de Viseu, tendo sido identificadas até agora 19 vítimas mortais. Morreram seis pessoas em Vouzela, cinco em Santa Comba Dão, três em Tondela, uma no Carregal do Sal, outra em Oliveira de Frades, um homem que não resistiu às queimaduras e faleceu no Hospital de Viseu e foi encontrada outra vitima em Nelas. Uma mulher que se encontrava grávida, não resistiu com vida a um acidente de viação na A25.