Subir

Zara: Trabalhadores denunciam exploração nas etiquetas das peças

a carregar vídeo

Zara: Trabalhadores denunciam exploração nas etiquetas das peças

PUB

Os funcionários turcos de uma das fornecedoras da Zara, a Bravo Texstil, decidiram manifestar-se depois de meses sem remuneração. As denúncias foram deixadas pelos trabalhadores nas etiquetas das peças de roupa na loja da marca espanhola em Istambul, Turquia, chegando, deste modo, às mãos dos clientes da cadeia espanhola. “Fiz esta peça que vai comprar, mas não me pagaram para tal”, lê-se numa das etiquetas.

De acordo com a Associated Press, a fábrica Bravo Texstil, que produzia roupa para o Grupo Inditex (detentora da Zara, Bershka, etc) terá fechado em julho de 2016 sem pagar os três meses em falta aos seus trabalhadores, assim como a indemnização. Os funcionários apelam agora aos consumidores da marca para apoiarem a sua campanha e para pressionarem a insígnia a pagar o que lhes é devido.

Firmada por 140 trabalhadores, foi ainda criada uma petição para apoiar esta causa, que conta já com mais de 20 mil assinaturas.

Até à data e contactado pelo Delas.pt, o departamento de comunicação da Inditex ainda não se pronunciou sobre as acusações.

Imagem de destaque: Reuters


Percorra a galeria de imagens abaixo para ver o vestido da Zara mais popular de sempre:

Veja também:

Polémica leva Zara a tirar mini-saia das lojas