Zuckerberg criou uma rede social para cotar mulheres

A polémica em torno do Facebook não para de crescer. Com o caso dos dados da consultora Cambridge Analytica – no âmbito do qual o fundador da rede social está a ser ouvido em instâncias norte-americanas e Sheryl Sandberg, diretora operacional da rede social, nas europeias – agora, Mark Zuckerberg bem trazer nova luz sobre os passos que deu para aqui chegar. E nem todos soam bem, muito menos para as mulheres.

Durante a audição no Congresso dos Estados Unidos da América, o multimilionário de 33 anos confirmou que o FaceMash foi criado para cotar e avaliar a beleza das mulheres no campus universitário que frequentava.

Imagem do FaceMash onde se lê a pergunta: “Quem é mais sensual?” [Fotografia: DR]
“O FaceMash foi um site de brincadeira que lancei na faculdade, a partir da minha residência de estudantes, antes de começar o Facebook”, afirmou Zuckerberg, respondendo ao republicano Billy Long.

Este reagiu e inquiriu: “Colocava duas fotos de duas mulheres e decidia qual delas era a melhor, mais atraente das duas, é isso?” o fundador do Facebook anuiu. “Essa é uma descrição precisa do site da brincadeira que fiz quando estava no segundo ano da faculdade.”

FaceMash: o que era e o que provocou

De curta duração, esta rede terá nascido após um revés sentimental sofrido pelo próprio Zuckerberg, segundo conta o site do jornal The Washington Post. Nessa sequência e no âmbito de alguns excessos, o hoje multimilionário terá sugerido, então em 2003, que fossem ‘roubados’ os servidores da universidade para que se pudesse fazer download de fotografias de estudantes sem autorização, segundo conta um perfil traçado pela Rolling Stone, em 2008. Uma vez obtidas as imagens, os colegas poderiam votar, cotar e apreciar a beleza das alunas.

O jornal estudantil de Harvard, o Crimson, terá relatado que, após este incidente, Zuckerberg terá sido acusado de “violar a segurança, de violar direitos de autor e de violar a privacidade”.No entanto, terá sido autorizado a permanecer na universidade.

Zuckerberg rejeitou a afirmação de que o FaceMash foi a semente que se transformou no Facebook, embora tivesse admitido que ambos foram criados mais ou menos na mesma época.

Imagem de destaque: DR