Subir

Melania Trump vai processar o ‘Daily Mail’ por difamação

Melania

Melania Trump vai processar o jornal inglês ‘Daily Mail’, depois de a publicação ter divulgado rumores de que a mulher do atual candidato republicano à presidência dos Estados Unidos foi, durante a década de 1990, uma acompanhante de luxo. O jornal levantou ainda questões sobre a condição atual de Melania como cidadã dos Estados Unidos, pondo em causa a legalidade da sua presença no país.

Apesar de Melania já se ter pronunciado sobre o rumor da imigração ilegal ao jornal ‘Politico’, ainda não tinha feito qualquer esclarecimento sobre a questão levantada pelo ‘Daily Mail’. Muito provavelmente por querer levar o processo para a frente.

O processo ao jornal britânico, confirmada pelos advogados de Melania, vem no seguimento de Donald Trump ter atacado vários jornais, proibindo o ‘Washington Post’ e o ‘Politico’ de cobrirem as suas ações de campanha. O republicano baniu também o ‘The Guardian’ de entrar num evento na Escócia, depois de um jornalista ter questionado o candidato sobre a sua política “tóxica”.

O ‘The Guardian’ também tentou contactar o ‘Daily Mail’ para recolher informações sobre o caso, mas o jornal não se quis pronunciar sobre o assunto. Charles Harder, um dos advogados de Melania, disse que “a senhora Trump está a ponderar colocar várias redes de média em tribunal, incluindo o ‘Daily Mail’, por terem feito acusações 100% falsas e difamatórias [para Melania Trump] ao dizerem que foi uma acompanhante de luxo na década de 1990. Todas essas notícias são falsas e são bastante penosas para a sua reputação e para a sua imagem. Melania percebe que certos jornais tenham as suas ‘inclinações’ políticas durante a campanha mas mentir descaradamente sobre ela ultrapassa todas as barreiras do jornalismo e da decência humana”.

A imagem retirada do Instagram mostra o casal com a descrição “casei com um grande homem @realdonaldtrump”. A mulher do candidato republicano mostra-se confiante na vitória do marido tendo o nome ‘firstladymelaniatrump’ (primeira-dama melania trump) na rede social.

Por: Nuno Cardoso // Fotografia: Reuters