Apresentadora de TV foi “forçada” a vestir casaco

Liberté Chan

Sábado, dia 14 de maio. Estava em direto a apresentar o boletim meteorológico num canal de televisão da Califórnia. Usava um vestido preto de alças, que não agradou aos espectadores. “Estamos a receber demasiados emails“, ouve-se dizer, ao mesmo tempo que lhe é estendido um casaco para que pudesse cobrir os braços e os ombros. Em direto. “Mas porquê? Porque está frio? Assim pareço uma bibliotecária…”, respondeu Liberté Chan.

O caso aconteceu na estação KTLA 5 e gerou comentário e críticas. “É tudo menos profissional que interrompam enquanto estás a fazer o teu trabalho e te falem de uma maneira tão condescendente apenas porque, sem questionar sequer, deram prioridade a queixas de espectadores que são sexistas”, escreveu um internauta na página de Facebook de Liberté Chan, seguida por quase 50 mil pessoas.

“Uma vez que está toda a gente a falar sobre o que aconteceu no programa ‘Morning News’, aqui ficam algumas reflexões pessoais”, acrescentou a própria na mesma rede social. “Trabalho há dez anos em televisão e, por esta altura, já aprendi que todos temos uma opinião (…). Este é um meio visual e, por vezes, a nossa escolha de indumentária funciona, outras vezes não”, referiu. “Para ser honesta, o vestido preto era a minha segunda opção, porque a primeira não resultou. Para que se saiba, a KTLA 5 não me pediu para vestir o casaco. Estava apenas a brincar com o meu coapresentador. Eu adoro o meu trabalho, os meus patrões e os meus colegas”, prosseguiu.

Em jeito de brincadeira, a apresentadora terminou dizendo que esperava que os espectadores tivessem aproveitado o bom tempo que se fez sentir desse dia.

SUBSCREVER

Subscreva a newsletter e receba semanalmente todas as noticias de forma confortável

packshot_site

APP DELAS

Aceda por telemóvel, smartphone ou tablet as notícias, informações, num ambiente atrativo e intuitivo, compatível com o seu equipamento.

Appstore Googleplay

O aeroporto de Lisboa tem um novo nome