Subir

Nove mulheres morrem depois de fazerem queixa

O Observatório de Mulheres Assassinadas da União de Mulheres Alternativa e Resposta assinalou a morte de 25 mulheres às mãos dos maridos/companheiros/namorados – alguns dos quais já separados das vítimas. Sabe-se agora que nove dessas mulheres tinham apresentado queixa, de acordo com uma investigação do jornal Público, impressa no jornal desta segunda-feira.


Leia também como o Facebook está a ajudar as vítimas a denunciar agressores à GNR.


Os casos relatados pelo jornal mostram que a queixa formal contra o agressor parece em alguns casos aumentar o risco para a vítima – uma delas foi assinada no próprio dia da apresentação da queixa. Daniel Cotrim, citado pelo jornal, afirma que:

“Não são acionadas medidas de proteção imediatas, nem há medidas de coação aplicadas ao suspeito”

O ano passado o número de mulheres assassinadas pelos cônjuges ou semelhante terá descido comparativamente com 2014, quando ocorreram 43 femicídios. Os números finais de mortes por violência doméstica de 2015 e de tentativas de homicídio ainda não são definitivos.