Primeira queda do Governo francês: a Ministra da Defesa

A ministra da Defesa francesa, Sylvie Goulard, renunciou hoje ao cargo para poder “demonstrar livremente” a sua “boa-fé” num inquérito, em curso, sobre suspeitas de alegados casos de criação de empregos fictícios, pouco mais de um mês passado sobre a sua nomeação para o cargo na sequência das eleições legislativas em França a 15 de maio.

“Desejo estar em condições para demonstrar a minha boa-fé”, explicou a ministra centrista num comunicado, evocando o inquérito que está a ser feito ao partido MoDem, a que pertence, sobre eventuais empregos fictícios para funções de assistentes no Parlamento Europeu (PE).

Na segunda-feira, o Eliseu anunciou uma “remodelação técnica” no Governo após as eleições legislativas de domingo, que deram uma maioria clara ao partido do Presidente Emmanuel Macron.

O Presidente “decidiu restaurar a confiança na ação pública, reformar a França e relançar a Europa”, lê-se hoje num comunicado da ministra da Defesa francesa, uma centrista eleita eurodeputada em 2009 e reeleita em 2014.

A 09 deste mês foi aberto um inquérito preliminar para averiguar se o partido pagou o salário de empregados do MoDem em França, tendo assinado contratos de trabalho como assistentes parlamentares europeus.

Na semana passada, o líder do MoDem, François Bayrou, que chegou a ministro da Justiça a 17 de maio último, negou as suspeitas.

SUBSCREVER

Subscreva a newsletter e receba semanalmente todas as noticias de forma confortável

packshot_site

APP DELAS

Aceda por telemóvel, smartphone ou tablet as notícias, informações, num ambiente atrativo e intuitivo, compatível com o seu equipamento.

Appstore Googleplay

Pedrógão Grande: Saiba como ajudar os bombeiros …