Subir

#Prostituição: uma discussão que vamos ter de fazer

#Prostituição: uma discussão que vamos ter de fazer

PUB

Durante uma semana, em novembro, o Delas.pt publicou um extenso trabalho sobre a regulamentação da prostituição, um tema que tem estado em debate na sociedade portuguesa desde o início deste ano, com o lançamento da discussão por João Torres, deputado do PS e o rosto da moção que relançou o debate na esfera política. Este domingo, 17 de dezembro, recuperamos este trabalho para assinalar o Dia Internacional Contra a Violência Sobre Trabalhadores do Sexo.

O debate está aberto e não só em Portugal. A ONU tem a discussão em cima da mesa e ouve até ao final de dezembro organizações não governamentais de todo o mundo, numa tentativa de estabelecer uma posição unívoca sobre a prostituição. Não será fácil chegar a ela.

Em Portugal, ouvimos os prós e os contras, as posições de ONGs e de organizações feministas que estão divididas e, claro, fomos recolher testemunhos de quem se prostitui.

No vídeo em cima apresentamos o essencial dos relatos de mulheres que estão na prostituição. Por que razões o fazem, se gostam ou não, quanto ganham ou como começaram são algumas das questões que responderam nas entrevistas que concederam à jornalista Kátia Catulo. A partir desses relatos que publicaremos durante esta semana, escrevemos os retratos das suas vidas.

Mas temos mais. Vai poder ler entrevistas da jornalista Ana Tomás a Isabel Soares, da associação APDES/Porto G, a Joana Sales, da União de Mulheres Alternativa e Resposta – UMAR e a Maria da Conceição António, mais conhecida por Kikas, dona do bar de alterne La Siesta, todas a favor da legalização desta atividade.

Contra a regulamentação e pela abolição da prostituição estão a associação O Ninho, o Movimento Democrático de Mulheres – MDM e a ativista sueca Kajsa Ekis Ekman e a holandesa Karin Werkman, que falaram sobre os modelos dos seus respetivos países.

São os vários lados de uma questão complexa que divide opiniões, mesmo entre as organizações feministas e de direitos humanos, que vai poder ler neste dossier.