Subir

A primeira mulher doutorada

Elena Cornaro Piscopio nasceu na República de Veneza a 5 de junho de 1646, numa época em que a Itália estava muito dividida em pequenos Estados. A mãe era de origem camponesa, mas o pai pertencia a uma família influente que já tinha dado quatro doges (líderes máximos) à poderosa Veneza.

Desde cedo, incentivada sobretudo pelo pai, Elena mostrou um intelecto excepcional e aprendeu ainda criança o latim e o grego clássico, que na época eram as bases da cultura erudita. Depois, ao longo da vida, dominou também o espanhol, o francês, o hebraico e o árabe. Se somarmos o italiano, língua materna, esta mulher do século XVII falava sete línguas.

Dotada para a música, Elena era também matemática, filósofa e teóloga. Com grande fama já além-fronteiras, o seu tutor solicitou à Universidade de Pádua que lhe desse um título na área da teologia, mas o bispo local opôs-se e Elena acabou por formar-se antes em filosofia. Tornou-se assim a primeira mulher doutorada no mundo em 1678. Morreu de tuberculose seis anos depois, a 26 de julho de 1884, em Pádua. Tinha apenas 38 anos.

Leonídio Paulo Ferreira