Subir

‘Dates’ elitistas. Uma nova app divide opiniões

Numa era de encontros rápidos dominada pelo Tinder, há uma nova app a querer mudar o jogo. Chama-se The Inner Circle e pretende “conectar pessoas ambiciosas e com visões parecidas, de todas as partes do mundo”. O objetivo? Menos encontros falhados, menos pessoas erradas nos dates.


Veja também o artigo 20 desculpas para passar uma noite romântica num hotel


Ao Delas.pt o fundador da app, David Vermeulen explica que a escolha dos membros é feita de forma cuidadosa “para assegurar que conseguimos criar um ambiente autêntico e honesto para pessoas que estão na mesma etapa da vida”. O que parece uma solução demasiado simples para o mundo dos encontros amorosos é equacionada através de variáveis como “idade, género, educação, carreira e uma análise das redes sociais”. Uma vez aprovados, os membros podem conhecer-se na app ou no site ou até participar num dos eventos offline que se realizam por toda a Europa. Para o fundador do The Innner Circle, esta é também uma maneira segura de conhecer pessoas já que o processo de escolha é controlado, “mais do que qualquer outra app de encontros, asseguramos um ambiente confiável para que os membros se possam conhecer”.

Foi em 2012, depois de terminar uma relação de longa duração, que David Vermeulen decidiu estrear-se no mundo dos sites de encontros. “Dias depois de me ter inscrito apaguei o meu perfil. O facto de quase todos os sites de encontros se basearem em quantidade em vez de qualidade é algo que não me atraia. A ideia foi então de criar uma plataforma em que solteiros com contextos e interesses semelhantes se pudessem conhecer”. Hoje, o Inner Circle conta com mais de 90 mil membros em toda a Europa. Os eventos em capitais como Londres, Barcelona ou Amesterdão, juntam membros da app num ambiente descontraído e temático, com bandas ao vivo ou DJ’s, por exemplo.

Apesar do sucesso do modelo, uma das críticas mais fortes ao The Inner Circle é o facto de este poder estar a criar uma cultura de encontros arrogante. O jornal britânico ‘The Independent’, por exemplo, afirma que “o resultado é que 35 mil londrinos ricos estão a viver uma bolha de dating. Numa cidade que conta com a maior disparidade de riqueza no país, esta é a última coisa que precisamos”. Confrontado com estas críticas, David Vermeulen acredita que “de forma a manter a qualidade e o devido equilíbrio na plataforma não é possível permitir a entrar de toda a gente de forma imediata. Pode parecer controverso, mas está a resultar”.

Lisboa ainda não consta da lista de cidades onde o TheInnerCircle já atua, mas o fundador da app revela que lançar-se na capital portuguesa faz parte dos planos para o futuro: “assim que tivermos um número suficiente de pessoas inscritas no nosso website iremos inaugurar [em Lisboa] com um grande evento”.

Andreia Pedro