Subir

Kevin Spacey e Brett Ratner afastados da televisão depois de denúncias de assédio sexual

a carregar vídeo

Kevin Spacey e Brett Ratner afastados da televisão depois de denúncias de assédio sexual

PUB

O escândalo sexual que envolve o produtor Harvey Weinstein levantou o véu da vergonha que envolvia Hollywood, trazendo a público várias acusações de assédio sexual.

São muitas as vozes conhecidas e anónimas que revelam histórias de abuso de poder e que nunca antes tinham sido ouvidas. Tal tem trazido consequências reais com o afastamento de alguns nomes do pequeno ecrã. As acusações mais recentes são contra Brett Ratner, Kevin Spacey e Dustin Hoffman.

O caso Brett Ratner

O estúdio Warner Bros cortou na quarta-feira, 1 de novembro, a sua relação empresarial com Brett Ratner após uma série de acusações contra o realizador e produtor de 48 anos de comportamentos inapropriados e assédio sexual.

Segundo o jornal Los Angeles Times, que cita fonte que falou sob a condição de anonimato, o estúdio não vai renovar o contrato de produção com a RatPac Entertainment, empresa fundada por Brett Ratner, deixando em suspenso o acordo de financiamento, avaliado em 450 milhões de dólares, que expira na primavera de 2018.


Veja como a sociedade americana está a ser abalada


Minutos antes, o ‘media’ especializado The Hollywood Reporter noticiou que Brett Ratner emitiu um comunicado afirmando que decidira afastar-se das atividades com o Warner Bros: “Não quero que haja qualquer eventual impacto negativo no estúdio até que estes assuntos pessoais sejam resolvidos”.

Olivia Munn e Natasha Henstridge são duas das seis mulheres que acusaram publicamente Ratner, realizador de “Rush Hour” (1998), “Red Dragon” (2002) ou “X-Men: The Last Stand” (2006) e que também participou como produtor na série “Prison Break” ou no filme “The Revenant” (2015).

Ratner, através do seu advogado Martin Singer, rejeitou as acusações. “Represento o senhor Ratner há duas décadas e nenhuma mulher alguma vez o acusou de comportamento sexual inapropriado ou assédio sexual”, afirmou o causídico em comunicado.

O caso Kevin Spacey

Kevin Spacey foi acusado por Anthony Rapp de abuso sexual, que, na altura, teria 14 anos e Spacey 26 anos. O alegado abuso terá acontecido em 1986 no apartamento de Kevin Spacey, durante uma festa onde Anthony era o único menor. O jovem ator terá pedido ao anfitrião para ir para o quarto dele ver televisão, sendo surpreendido no final da festa por Kevin que lhe pegou ao colo e deitou-o na cama com a intenção de ter relações sexuais com ele.

Esta foi apenas a primeira denúncia a que se juntaram outras nos último dias. O ator mexicano Roberto Cavazos escreveu na sua página de Facebook que se recordava de vários encontros desagradáveis com Kevin Spacey. Cavazos escreveu ainda que “os que estiveram em Londres na altura em que ele era diretor do Teatro Old Vic, sabem que serão muito mais os que vão contar as sua histórias com Stacey nos próximos dias e semanas. Não ficaria surpreendido de os números fossem parecidos aos de Weinstein. (…)

Bastava ser homem e ter menos de 30 anos para que o senhor Stacey se sentisse no direito de nos tocar. Era tão comum que este comportamento até virou piada. Já não sei quantas pessoas me contaram a mesma história: Spacey convidava-os para falarem das suas carreiras e quando chegavam ao teatro tinham um piquenique preparado com champanhe em cima do palco maravilhosamente iluminado.”

Estas revelações fizeram o Netflix cancelar a série “House of Cards” que é um dos maiores sucessos da televisivos, protagonizado por Spacey. Também a International Academy of Television Arts & Sciences decidiu cancelar o prémio que ia atribuir ao ator este ano.

O caso Dustin Hoffman

A escritora Anna Grajam Hunter acusou Dustin Hoffman de assédio sexual, quando esta era estagiária no elenco do filme “Death of a Salesman”. O caso terá acontecido em 1985, quando a vítima tinha apenas 17 anos.

“No meu primeiro dia no estúdio ele pediu-me uma massagem nos pés e eu fiz. Ele lançava charme abertamente, agarrava o meu rabo, falava de sexo comigo e à minha frente”, escreveu Anna no Hollywood Report.

O ator, agora com 80 anos, pediu desculpa publicamente. “Tenho o maior respeito pelas mulheres e sinto-me mal se alguma coisa que tenha feito põe alguma mulher numa situação desconfortável. Lamento. Esse comportamento não reflete a pessoa que sou.”

 

Assédio sexual em Hollywood: a lista de vítimas é infindável

MBP com Lusa

Imagen de destaque: DR