Subir

Os segredos de longevidade da única mulher nascida no século XIX

Emma Morano, que com 116 anos vive sozinha no norte de Itália, tornou-se na mulher mais velha do mundo depois da morte da nova-iorquina Susannah Mushatt Jones. A mulher nascida em 1899 revelou que o seu segredo é o consumo diário de ovos, o facto de se deitar cedo e de nunca mais ter voltado a casar, depois do divórcio em 1938.

O médico de Morano, quando esta era ainda adolescente, aconselhou-a a comer ovos crus todos os dias para combater a anemia. A partir dessa altura, a ancestral italiana começou a comer três ovos diariamente, revelou numa entrevista ao ‘New York Times’.

Se Morano bateu recorde no número total de ovos consumidos, não se ficou atrás como pioneira sócio-familiar, ao ter-se divorciado numa altura em que nem sequer estava previsto na lei italiana tal situação. “Não queria ser dominada por ninguém”, explicou ao ‘NYT’.

Um vizinho de Emma visita periodicamente a centenária, sendo que nunca houve razões para alarme. Numa teimosia característica de quem muito já viveu, “Morano recusa sempre meter os pés no hospital”, revelou Carlo Brava, o médico que, a par do vizinho, também presta regulares visitas ao apartamento.

Os especialistas apontam que a grande razão para a longevidade está na genética, e a justificação é comprovada pela também longa vida de dois irmãos de Emma, que morreram com 100 e 102 anos de idade.

Luís Alves Vicente / EPA/ANTONINO DI MARCO