Subir

Carmen Dolores volta a partilhar memórias em novo livro

Ana Petrovna, Senhora Ponza, Lianor, Maria Ricarda, Sofia foram algumas das personagens a que Carmen Dolores deu vida na sua carreira de atriz. São algumas das vozes que ainda a habitam, hoje, aos 93 anos, e que se misturam com outras, as de colegas e amigos, as da escrita, da música e da poesia, e a sua, refletindo cada fase da vida, afetos, reflexões e divagações.

Todas elas estão reunidas na obra ‘Vozes Dentro de Mim’, o seu novo livro de memórias, lançado no passado dia 13 de julho, pela Sextante Editora, e apresentado esta segunda-feira, 17 de julho, às 18h30, no foyer do Teatro Aberto, em Lisboa.

O local é simbólico, já que foi aí que Carmen Dolores se despediu dos palcos e de uma carreira de 60 anos no teatro e na televisão. Mas a artista continuou a encontrar nas palavras a forma de continuar a comunicar com o seu público, neste caso através da escrita, como sublinha Fernando Dacosta, na edição de ‘Vozes Dentro de Mim’, lembrando esta vertente da carreira da artista.

Antes deste livro, e além de também se ter notabilizado a recitar poesia, a atriz já tinha publicado outras memórias, em ‘Retrato Inacabado’ (O Jornal, 1984) e ‘No Palco da Memória’ (Sextante Editora, 2014).

A escrita de mais um livro do mesmo género é justificada, pela atriz, logo nas primeiras páginas de “Vozes Dentro de Mim”: a ideia surgiu durante um concerto na Fundação Calouste Gulkenkian, através da música de Schubert, interpretada pelo pianista Grigory Sokolov. Volta a desenvolver essa explicação mais à frente, depois de partilhadas várias histórias e fotografias que testemunham um percurso iniciado aos 14 anos, na rádio.

 

Imagem de destaque: Reinaldo Rodrigues / Global Imagens

Ana Tomás