Subir

Barcelona: Jovem desaparecida é a segunda vítima mortal portuguesa

O primeiro-ministro, António Costa, confirmou este sábado que a rapariga de 20 anos que estava desaparecida após o atentado terrorista de quinta-feira em Barcelona, Espanha, é a segunda vítima mortal portuguesa.

“Queria mais uma vez apresentar condolências à família e sinalizar que isto demonstra bem como a ameaça é de facto uma ameaça global, não só porque pode surgir em todo o sitio como também pode atingir qualquer um. Mesmo não sendo na nossa terra, é também no sítio onde estamos em férias, em turismo, em trabalho”, afirmou António Costa.

O chefe do executivo sublinhou que a ameaça terrorista tem de ser levada “muito a serio”: “Hoje foi em Barcelona, amanhã pode ser noutro sítio, esperamos que nunca seja em Portugal, mas é um risco que todos temos, obviamente, de assumir que existe”.
O primeiro-ministro obteve confirmação do falecimento da segunda vitima portuguesa nos ataques de Barcelona, através do secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Luís Carneiro, que se encontra na capital catalã. A jovem agora identificada era neta da primeira vítima mortal portuguesa, uma mulher de 74 anos, residente em Lisboa.

Espanha foi alvo na quinta-feira de dois ataques terroristas, em Barcelona e em Cambrils, Tarragona, que fizeram 14 mortos e 135 feridos.

Lusa