Catarina Furtado faz elogio especial a Cautela

Depois de os fãs da Eurovisão terem vindo elogiar a prestação de Filomena Cautela, também Catarina Furtado – co-apresentadora do Eurovision Song Contest – enalteceu o rosto do 5 Para a Meia-Noite, no trabalho que desenvolveu naquele certame musical, no Altice Arena. “Hoje queria falar do que se vê no ecrã! E aí, a pequena grande Mena mostra no que o trabalho incansável aliado a um talento nato, dá: parabéns!!! Foste maravilhosa! Estarei sempre cá para te aplaudir, minha goma”, escreveu o rosto da RTP1, que foi alvo de críticas pelo seu sotaque e das quais se defendeu de forma peculiar. Catarina foi também salvaguardada pelo seu designer Nuno Baltazar.

https://www.instagram.com/p/BiurJaUnKzX/?taken-by=catarinafurtadooficial

Para Furtado, escreveu ainda no mesmo post, “a aventura da Eurovisão foi uma experiência incrível” que será recordada “para toda a vida com muito carinho!”. E prosseguiu: “O que fica são as pessoas e os processos que nos levam a conhecer melhor as pessoas que valem a pena. Só nós, as 4 #eurobabes, e a nossa super equipa (João Nuno Nogueira, Gonçalo Madail, Carla Bugalho, Paulo Resende, Paula Macedo, Pedro Miguel Martins, Nuno Galopim, Pedro Ribeiro, Lucy Pepper, Diogo Fernandes, Andreia Geraldo + equipa @rtppt) saberemos tudo o que de intenso e maravilhoso aconteceu”.

Esta terça-feira, sendo ou não uma defesa das críticas de que foi alvo, Furtado publicou um longo texto na sua conta de Instagram onde lembrou que sempre escapou a rótulos, no qual desfiou toda a sua experiência profissional e o seu trabalho junto de estruturas das Nações Unidas. “Sou uma mulher de muitas facetas e sonhos. Nunca fui adepta de rótulos na minha carreira.”

https://www.instagram.com/p/Biy6T85nGjV/?taken-by=catarinafurtadooficial

“Depois de tudo o que fiz até agora, ser vista por 200 milhões de pessoas na @erovision tornou-se uma experiência inesquecível para mim. Estou muito grata!”, concluiu o rosto da RTP1 no mesmo post.

Imagem de destaque: DR

Filomena Cautela: Dos ‘Morangos com Açúcar’ à Europa