Mais uma marca de calçado portuguesa a dar cartas no mundo

Freakloset é uma marca de sapatos desenhada e produzida integralmente em Portugal, que recupera modelos icónicos e os reinventa com novas cores e novos materiais: Derby, Monk, Ankle Boot, Chelsea Boot e Loafer são alguns dos modelos disponíveis para venda online no website Freakloset. No dia 8 de janeiro de 2017, a marca vai desfilar na Semana de Moda de Londres Homem em parceria com uma importante marca inglesa, cujo nome ainda não pode ser divulgado!

Na Rua do Passadiço, em Lisboa, entre os números 68 e 72, as montras têm em exposição vários modelos de sapatos que parecem escalar a parede, em cores vibrantes ou sóbrias, em que os pormenores fazem a diferença. Freakloset é o nome que se lê nas portas, que estão fechadas ao público, por ser ali o gabinete de trabalho e showroom da marca. Mas quem quer saber mais sobre este projeto que surgiu no mercado, nacional e internacional, em julho deste ano pode sempre pedir para que as portas se abram.

A fundadora, Joana Lemos, natural de Coimbra, é formada em Gestão e Administração de Empresas pela Universidade Católica de Lisboa com mestrado em Marketing na ESADE Business School de Barcelona e em Design na Parsons School of Design, em Nova Iorque, e IAE, Lisboa, explica-nos como começou esta marca:

“A Freakloset foi o meu projeto de tese de mestrado, com diferentes contornos uma vez que na altura idealizava uma marca que integrasse diferentes áreas como roupa, acessórios e calçado, mas acabei por focalizar de forma a poder ser mais eficaz e a trabalhar cada ideia estruturadamente. Optei por começar pelos sapatos, recuperando modelos icónicos que cada pessoa pode personalizar, escolhendo entre quatro opções -atacadores, solas, cor da pele e modelo do sapato”

A empresa foi criada em setembro de 2014 mas somente em julho deste ano é que surgiram os “primeiros três modelos, aos quais se juntaram, em outubro, mais dois e em 2017 vão surgir outros dois”.

Antes de se aventurar no mundo empresarial, Joana Lemos, analisou rigorosamente o mercado concluindo que havia espaço e procura para a sua ideia. Avança com a marca em Portugal, trabalha para encontrar “os melhores materiais, o melhor processo de produção, os melhores fornecedores e o melhor design” para garantir um produto único, nacional, que se destacasse pela qualidade, detalhe, conforto e design. “Tudo é feito por mim, pela Arianne Amores e pelo Diogo Simões. Da ideia ao produto final, nós acompanhamos todos os processos para garantir o melhor modelo e o sucesso da marca”.

O facto de só permitirem ao consumidor escolher entre um número limitado de modelos, cores, solas e atacadores, permite que o próprio cliente não se sinta desorientado no momento de escolher, “pois está provado que quanto maior for a escolha mais difícil é a decisão final”, diz Joana Lemos.

A empresária salienta “a sorte” de ter nascido num país com tradição na produção de calçado, levando à “capitalização desta herança por parte da nova geração que pode investir no design e na inovação de qualidade reconhecida mundialmente”.

Produzidos em Portugal, em São João da Madeira, os modelos são totalmente personalizáveis, devido ao avançado sistema 3D que permite uma multiplicidade de opções adaptadas ao estilo de cada pessoa. A Freakloset recupera modelos criados há mais de 100 e 200 anos e que continuam na moda. De design simples, “demos-lhe um twist de modernidade atribuindo-lhes novas cores e materiais improváveis, como o neoprene”, refere Joana Lemos.

“Fomos ainda mais longe na originalidade do nosso conceito e criámos um software 3D, simples e intuitivo, através do qual é possível personalizar quatro partes do sapato – pele, taloeira, atacadores e sola – para criar, em minutos, uma infinidade combinações e estilos”, acrescenta a responsável da marca. Para além da personalização, a Freakloset disponibiliza ainda uma coleção fixa que reúne uma série de combinações pré-definidas de acordo com as tendências da estação. A encomenda dos sapatos é feita no site e três semanas depois o cliente recebe em sua casa uma caixa com o modelo escolhido e uma embalagem de graxa adequada ao sapato.

Durante o próximo ano a Freakloset vai investir na presença em algumas das mais importantes feiras internacionais como CIFF (Copenhaga, Dinamarca), Pitti Uomo (Florença, Itália), GDS (Dusseldorf, Alemanha), Premium (Berlim, Alemanha) e White (Milão, Itália). E já a pensar no futuro a marca pretende alargar a oferta criando outras linhas de produtos na área do vestuário.

O sucesso do novo calçado português

Longe vão os tempos em que a indústria nacional de calçado pisava areias movediças. Nos últimos anos o know how da indústria tradicional foi aproveitado e aliado a visões inovadoras para o negócio. Hoje, os sapatos portugueses têm um posicionamento de prestígio e os novos agentes do setor, altamente qualificados, demonstram visão e modernização, combinando a tradição com a tecnologia de última geração. Nos últimos anos têm surgido no mercado interno e externo marcas made in Portugal, de diferentes conceitos, onde o conforto, a qualidade dos materiais e a excelência da produção compete com os melhores do mundo.

A Freakloset inscreve-se nesse movimento novo composto por outras marcas como Josefinas, Citadin Shoes, Friendly Fire, Green Boots, Guava, Trouxa Moucha, Daniela Catraia, Armando Cabral, Inouh, Lázuli, Mussas, Rutz, Sola ou D’Ornellas Boots e pela já, confirmadíssima, Fly London.

 

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

SUBSCREVER

Subscreva a newsletter e receba semanalmente todas as noticias de forma confortável

packshot_site

APP DELAS

Aceda por telemóvel, smartphone ou tablet as notícias, informações, num ambiente atrativo e intuitivo, compatível com o seu equipamento.

Appstore Googleplay

Uma viagem ao oriente através da roupa