Campeã russa admite o fim da carreira

A russa Yelena Isinbayeva, dupla campeã olímpica de salto com vara, admitiu hoje o fim da carreira, depois de ser conhecida a decisão do recurso apresentado ao TAS relativo à suspensão de atletas da Rússia.

“No caso de o Comité Olímpico Internacional (COI) não permitir que os atletas russos compitam nos Jogos, não me vejo a continuar”, disse a recordista mundial da vara, agora com 34 anos e que pretendia retirar-se após o Rio2016.


Leia também o artigo: Quer treinar como um atleta olímpico? Adicione a nova música de Katy Perry à sua ‘playlist’


Em videoconferência através das redes sociais, admitiu que “muita gente” a incentivou a continuar outro ciclo olímpico, face à boa forma após a paragem para maternidade: “Mas não. Tenho 34 anos e a família está primeiro.”

Isinbayeva diz ter confiado “até ao último momento” que o Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) iria compreender “a injustiça da situação” e aceitar o recurso de 67 atletas russos, confrontados com a suspensão da Rússia na Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF).

“Agora, já não acredito que o Comité Olímpico Internacional (COI) permita que os atletas compitam no Rio”, acrescentou a campeã de Atenas2004 e Pequim2008.

Para ela, “faz sentido” apelar individualmente da decisão do TAS, apesar de considerar “uma burla” o prazo de 30 dias de que dispõe, já que os Jogos começam dentro de duas semanas.

“Se ganhar, a ideia é recorrer para o Tribunal Internacional dos Direitos Humanos e demonstrar a minha inocência. Seria uma questão de princípio, já não relacionada com a ida aos Jogos do Rio, porque não há tempo”, reforçou.

Treinador destaca boa forma da atleta
Quanto a Yuri Trofimov, treinador da atleta, destacou a excelência da forma, com 4,90 metros nos campeonatos nacionais, primeira competição do ano para ela. Nos Jogos, a ideia era estar a saltar para recorde do mundo.

Trofimov relacionou a situação com a política de sanções económicas impostas pelo ocidente, após a anexação da Crimeia e a crise ucraniana. “É a política sancionatória, para enterrar a nossa equipa”.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

SUBSCREVER

Subscreva a newsletter e receba semanalmente todas as noticias de forma confortável

packshot_site

APP DELAS

Aceda por telemóvel, smartphone ou tablet as notícias, informações, num ambiente atrativo e intuitivo, compatível com o seu equipamento.

Appstore Googleplay

Sheryl Sandberg incentiva mulheres a falar do luto…