Comissão Europeia nomeia mais mulheres e aproxima-se da quota dos 40%

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, anunciou esta quarta-feira, 21 de fevereiro, a nomeação de novos funcionários para cargos de topo na burocracia europeia, passando a haver 36% de mulheres.

Entre as indigitadas, sublinhou Juncker, em conferência de imprensa, está Clara Martinez Alberola, nomeada como a primeira mulher chefe de gabinete do líder do executivo comunitário, em substituição de Martin Selmayr, que sobe a secretário-geral da Comissão Europeia, em 1 de março.

 

Jean-Claude Juncker [Fotografia: Olivier Hoslet/EPA]

Com as várias nomeações, que não incluem qualquer português, a Comissão Europeia passa a incluir 12 diretoras-gerais e 19 diretoras-gerais adjuntas, o que significa que 36% das funções de topo são exercidas por mulheres, sendo a meta traçada de ter 40% até outubro de 2019.

CB com Lusa

Imagem de destaque: Shutterstock

Ana Luís: “Tenho sido sempre a mais nova de qualquer coisa”