Morreu o pai do Serviço Nacional de Saúde, António Arnaut

A saúde ficou mais acessível a todos e as mulheres saíram – claro está – beneficiadas com um sistema que as protegia. Do nascimento à morte.

Apesar de a criação do Serviço Nacional de Saúde ter sido “uma teimosia” de António Arnaut, como o próprio definiu, ele veio para mudar a vida de todos.

Morreu esta segunda-feira, 21 de maio, em Coimbra, o homem que esteve na linha da frente deste projeto. O antigo ministro dos Assuntos Sociais, fundador do SNS e cofundador do PS, morreu aos 82 anos, garante fonte dos socialistas à agência Lusa.

António Arnaut, advogado, nasceu na Cumeeira, Penela, distrito de Coimbra, em 28 de janeiro de 1936, e estava internado nos hospitais da Universidade de Coimbra.

Presidente honorário do PS desde 2016, António Arnaut foi ministro dos Assuntos Sociais no II Governo Constitucional, Grão-Mestre do Grande Oriente Lusitano e foi agraciado com o grau de Grande-Oficial da Ordem da Liberdade e com a Grã-Cruz da Ordem da Liberdade.

Poeta e escritor, envolveu-se desde jovem na oposição ao Estado Novo e participou na comissão distrital de Coimbra da candidatura presidencial de Humberto Delgado.

Imagem de destaque: Global Imagens