É com esta frequência que devemos mudar os lençóis da cama

Provavelmente preferia não saber isto, mas a verdade é que os lençóis da sua cama são uma mina de fungos e bactérias. Durante a noite perdemos muitas células de pele, que facilmente desenvolvem bactérias, isto para não falar do suor (cada pessoa pode produzir até 1 litro de suor por noite) e dos ácaros. A verdade é esta, e por muito desagradável que seja, o melhor é enfrentá-la e saber exatamente com que frequência devemos mudar os lençóis.

Segundo o Phillip Tierno, Diretor de Microbiologia e Imunologia do Centro Médico Langone na Universidade de Nova Iorque, a roupa de cama deve ser mudada uma vez por semana em situações normais, mas no caso de doença, excesso de sudação ou se dormirmos nus devemos mudar os lençóis no máximo depois de três dias de uso. Em entrevista ao Yahoo, o especialista esclarece que lençóis que não são mudados frequentemente são “uma ameaça para as vias respiratórias, mais do que uma fonte infecciosa. Se se tem alergias ou asma, os problemas podem agravar, e mesmo que não sofre destes problemas pode desenvolvê-los já que está numa situação de risco.”

Para não correr riscos o ideal é, além de mudar os jogos de cama com frequência, lavá-los da melhor forma. “A água deve estar a cerca de 60ºC, depois a secagem devia ser feita num circuito de ar quente. Isto serve de germicida, desta forma acaba-se realmente com o material vegetativo presente nos lençóis. Também se matam os ácaros do pó. Para uma proteção extra, a lixívia é excelente. Este é provavelmente o germicida mais barato do mercado e pode ser usado em concentrações baixas”, explicou o mesmo especialista. Agora já sabe o que fazer para não correr risco de saúde enquanto dorme.

O Coração Partido é mesmo um problema de saúde